Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Bahia 247


Temer comprou salvação de Aécio com R$ 200 milhões em emendas a senadores

Reprodução | Divulgação

Michel Temer liberou R$ 200 milhões em emendas para salvar o mandato de Aécio Neves (PSDB-MG), na sessão de ontem do Senado Federal; a denúncia foi feita pelo jornalista Josias de Souza, colunista do Uol; "unido a Aécio Neves por solidariedade política e penal, Michel Temer mobilizou-se para devolver ao senador tucano o mandato, a liberdade noturna e o passaporte. Para virar votos no plenário do Senado, Temer autorizou seus operadores políticos a acenar com a liberação de R$ 200 milhões em emendas orçamentárias", diz ele; agora, Temer tenta fechar a compra da bancada ruralista liberando a volta do trabalho escravo nas fazendas, com o fim da fiscalização

Aragão: razão para anular o golpe existe há tempos

"Os fundamentos já existem há muito tempo. Não vamos ser ingênuos. Todos nós sabemos que a presidenta Dilma Rousseff foi afastada não por crime de responsabilidade. Aliás, na sua primeira entrevista, como que (vamos dizer) usurpando o cargo de presidente da República, o Sr. Michel Temer confirmou isso: Dilma não foi afastada por crime de responsabilidade e sim por um problema de governabilidade (...) A presidenta não estava no poder por causa de confiança do Congresso, mas, sim, pela confiança dos eleitores que votaram nela", afirma o ex-ministro da Justiça de Dilma, Eugênio Aragão; nesta terça, o advogado, e também ex-ministro, José Eduardo Cardozo, protocolou no STF um pedido para que a colaboração premiada do doleiro Lúcio Funaro seja incorporada ao mandado de segurança que pretende anular o processo de impeachment


Fechar