LeFigaro
 (photo: Pixland)
Conteúdo oferecido por Caixa Seguradora
31.07.2016, 15:16

Câncer dos pés. Cuidado, ele pode ser perigoso

 

Muitas vezes subestimado, o câncer de pele e das unhas dos pés pode ser assustador. Como reconhecê-lo? Podemos curá-lo? Respostas de Michel Vadon, podólogo no Hospital Universitário de la Timone, em Marselha.

 

O melanoma (câncer de pele) aparece nos pés inicialmente como manchas pequenas do tipo da que aparece na imagem acima. Crescem pouco a pouco, e assumem cor e textura diferentes.

O melanoma (câncer de pele) aparece nos pés inicialmente como manchas pequenas do tipo da que aparece na imagem acima. Crescem pouco a pouco, e assumem cor e textura diferentes.



Por Cécile Thibert – Le Figaro

Entrevista com o podólogo Michel Vadon

 

O melanoma é conhecido, trata-se do câncer de pele cujo nome faz referência aos melanócitos, células especializadas na fabricação de pigmentos responsáveis pela cor da pele. Mas você sabia que ele também pode afetar os pés? O podológo Michel Vadon, chefe do setor de podologia no setor de dermato-oncologia no Hospital Universitário de la Timone, em Marselha, faz questão de alertar o público e profissionais de saúde sobre a necessidade de não subestimar os melanomas plantários, que representam de 1 a 7 % dos aproximadamente 11 mil casos de melanomas na França.


Le Figaro - Por que o senhor quis alertar o público sobre este assunto?

Michel Vadon – Quero chamar a atenção sobre este tipo de câncer e desmascarar os equívocos. Hoje em dia, muitas pessoas pensam que melanomas se desenvolvem apenas em áreas expostas ao sol e que as peles pigmentadas não correm risco, o que é falso. No meu departamento, vejo cada vez mais pessoas jovens, vindo consultar por causa de um calo infectado ou uma verruga, mas elas têm melanoma plantar. Há sinais que não devem ser negligenciados, mesmo se somos jovens. É preciso consultar um especialista em caso de dúvida.

Sob que formas o melanoma plantar se apresenta?

 

Melanoma lentiginoso acral subungueal.

Melanoma lentiginoso acral subungueal.


 

O melanoma plantar ou lentiginoso acral, por exemplo, é um câncer insidioso que se manifesta sob aspectos muito diferentes e que afeta principalmente homens e mulheres acima dos 50 anos de idade. Muitas vezes, ele começa como uma mancha irregular, castanha clara ou escura, e até preta. O mais difícil de detectar é o melanoma amelanótico, caracterizado pela ausência de cor, que é muitas vezes confundido com uma verruga plantar ou um calo infectado.

O melanoma plantar mais comum e mais grave é o melanoma subungueal, que se parece com um hematoma debaixo da unha. O primeiro sinal é uma faixa estreita e escura que aparece sob a unha, mais frequentemente no dedão do pé, embora possa ocorrer sob qualquer unha. No entanto, muitas pessoas com pele pigmentada apresentam faixas benignas.

O que causa esta doença?

Entre os fatores de risco, consideramos a presença de pintas e o tipo de pele. Assim, a proporção de melanoma plantar é maior nas populações negras e asiáticas nas quais os melanomas clássicos estão menos presentes. No entanto, o melanoma plantar não está relacionado à exposição excessiva aos raios UV.

Como se reconhece um melanoma plantar?


Outro exemplo de melanoma lentiginoso acral.

Outro exemplo de melanoma lentiginoso acral.

 

Este tipo de câncer nem sempre é fácil de ser detectado. Muitas vezes, os clínicos gerais detectam manchas e pintas, mas nem sempre têm o reflexo de encaminhar o paciente para um centro especializado. Com a prática, é possível detectar mais facilmente quando uma mancha é atípica. Para as lesões que não são visíveis a olho nu temos o dermatoscópio, um aparelho que possui lentes de aumento que detectam lesões suspeitas. Em seguida, uma biópsia é realizada. De modo geral, quando o melanoma plantar aumenta de tamanho, ele se torna muitas vezes irregular em forma e cor.

É possível curar um melanoma plantar?

Quando o melanoma afeta apenas a epiderme, a doença ainda está em seu estágio inicial e o tratamento tem grandes chances de funcionar. O perigo existe quando o melanoma atinge a derme e a hipoderme. Detectado precocemente, o melanoma pode ser operado e a pessoa pode viver. Mas, regularmente, os cirurgiões plásticos são obrigados a fazer uma amputação.

Que conselhos o senhor tem para fornecer?

É preciso monitorar as pintas e as manchas. Se mudarem de tamanho e de cor em alguns meses, é preciso consultar um especialista.

Quanto aos profissionais de saúde, lamento que os alunos da área paramédica tais como podólogos, não sejam mais bem treinados. Nas escolas de podologia, apenas uma hora de aula é dedicada ao melanoma plantar, em três anos de formação! No entanto, os podólogos deveriam ser atores privilegiados do diagnóstico precoce do melanoma plantar.