<p>Brasília - O secretário de vigilância em saúde, Antônio Nardi e o diretor do DEVIT,Cláudio Maierovitch, divulgam Boletim Epidemiológico, com números atualizados de casos de microcefalia (Marcelo Camargo/Agência Brasil)</p> (photo: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Brasília - O secretário de vigilância em saúde, Antônio Nardi e o diretor do DEVIT,Cláudio Maierovitch, divulgam Boletim Epidemiológico, com números atualizados de casos de microcefalia (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Conteúdo oferecido por Caixa Seguradora
16.01.2018, 20:07

Decisão da OMS sobre SP é excesso de zelo, diz ministério da Saúde

O Ministério da Saúde informou que vê como "excelo de zelo" e "ampliação da cautela" a decisão da OMS de incluir todo o estado de São Paulo no mapa das áreas de risco para febre amarela; de acordo com o ministro da Saúde em exercício, Antônio Nardi, a decisão ocorre diante da impossibilidade de mapear, nos aeroportos, portos e fronteiras, os locais de destino e rotas de deslocamentos dos turistas que chegam ao estado

247 - O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (16) que vê como "excelo de zelo" e "ampliação da cautela" a decisão da Organização Mundial de Saúde (OMS) de incluir todo o estado de São Paulo no mapa das áreas de risco para febre amarela. De acordo com o ministro da Saúde em exercício, Antônio Nardi, a decisão ocorre diante da impossibilidade de mapear, nos aeroportos, portos e fronteiras, os locais de destino e rotas de deslocamentos dos turistas que chegam ao estado. A medida, que endurece as recomendações para os estrangeiros que pretendem visitar o estado, foi adotada após conversas entre representantes da entidade, da secretaria de saúde de São Paulo e do ministério. 

"É uma ampliação da cautela, um excesso de zelo que a OMS está colocando para que todos os viajantes internacionais que venham a São Paulo, independente de sua área de circulação, estejam vacinados", disse o ministro.

Os viajantes serão orientados a se vacinar contra a doença pelo menos dez dias antes da viagem para qualquer área de São Paulo.

O ministro negou a possibilidade de mudança nas áreas de recomendação para vacinação por causa do alerta aos turistas. "As áreas determinadas para vacinação continuam as mesmas", afirma. "As determinações serão atualizadas conforme necessidade", acrescentou.

Além de São Paulo, a OMS passou a considerar como regiões de risco para febre amarela uma parte do norte do Rio de Janeiro, o sul da Bahia e todo o Espírito Santo. Desde o ano passado, já estavam na lista todos os Estados do Norte e do Centro-Oeste, Minas Gerais, Maranhão e partes dos Estados da região Sul, de São Paulo, da Bahia e do Piauí.