LeFigaro
 (photo: )
Conteúdo oferecido por Caixa Seguradora
09.03.2018, 16:09

Calvície. Descoberta a molécula que provoca a queda dos cabelos

O arsenal para combater a alopecia androgenética poderia ganhar novas moléculas. Novos medicamentos estão sendo produzidos, trazendo mais esperança para os carecas

 

 

Por Anne Prigent – Le Figaro Santé

 

Em breve, para esconder sua calvície, os homens não precisarão mais se submeter à moda da cabeça raspada ou realizar implantes caros. Pesquisadores norte-americanos teriam de fato identificados uma molécula responsável pela queda dos cabelos: a prostaglandina D2. Tratamentos focados neste caminho já estariam sendo desenvolvidos segundo a revista americana Science Translational Medicine publicada em 21 de março de 2012. A calvície ou alopecia androgenética começa antes dos 40 anos de idade e afeta cerca de um homem em cada dois, ao redor dos 50 anos de idade. A calvície depende de alguns hormônios masculinos, os andrógenos e mais especificamente, a testosterona. Esta última,  uma vez convertida em diidrotestosterona (DHT), acelera o processo de fabricação dos cabelos que irão se renovar de forma cada vez mais rápida. O folículo se esgota, os cabelos se tornam cada vez mais finos e o folículo morre. Este fenômeno também está relacionado a uma predisposição genética.

Ao analisar o couro cabeludo de homens carecas, os pesquisadores descobriram uma concentração elevada nas células de folículos pilosos de prostaglandina D2. Eles realizaram experiências em camundongos transgênicos que produzem níveis elevados desta prostaglandina e que se tornaram totalmente carecas. Em seguida, eles transplantaram cabelos humanos em outra linhagem de camundongos e administraram a prostaglandina. Em seguida, os cabelos pararam de crescer. De acordo com George Cotsarelis que liderou as pesquisas, estes resultados indicam que a prostaglandina está bem presente em couros cabeludos carecas e que ela inibe o crescimento dos cabelos. Para ele, o próximo passo irá consistir em encontrar compostos que bloqueam a produção de prostaglandinas, mas também, descobrir se esta ação eliminaria a calvície ou a impediria. O medicamento prometido não será lançado em breve.

Como colírio contra o glaucoma

Outras prostaglandinas poderiam ser comercializadas antes do tempo. «Durante a administração de prostaglandinas ou medicamentos análogos utilizados como colírio contra o glaucoma, verificou-se que os cílios eram mais longos e mais espessos », diz o Dr. Pascal Reygagne, dermatologista adjunto no hospital Saint-Louis (Paris). Uma das moléculas recebeu uma aprovação nos Estados Unidos para melhorar os cílios na cosmética e ela está sendo estudada na calvície. Neste caso, a prostaglandina favorece o crescimento do cabelo. O que não é contraditório com o estudo norte-americano.

«As prostaglandinas podem ter efeitos diferentes », salienta o Dr. Pierre Bouhanna (Hospital Saint-Louis-Paris). Para os especialistas, a via das prostaglandinas é uma das pistas no tratamento da calvície. «Outras novidades chegaram nesta área, como o Platelet Rich Plasma (Plasma Rico em Plaquetas). O princípio consiste em recuperar em uma amostra de sangue, após a centrifugação, o plasma rico em fator de crescimento. Ele foi usado durante enxertos de cabelo e percebemos que ele promove o crescimento dos cabelos intermediários ou da penugem», explica Pierre Bouhanna. Muitas pistas são promissoras, mas é necessário que os cabelos não tenham sumido completamente, para serem eficazes.