Aécio desafia STF e publica foto de encontro com senadores tucanos

O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) tentou fazer uma demonstração de força via redes sociais; o mineiro postou uma foto de reunião com colegas de partido na Casa, Tasso Jereissati (CE), Antonio Anastasia (MG), Cássio Cunha Lima (PB) e José Serra (SP) para, segundo ele, discutir votações no Congresso e agenda política; gesto pode ser entendido como um desafio ao STF, uma vez que, na decisão que o afasta do Senado, o ministro Edson Fachin determina "suspensão das funções parlamentares ou de qualquer outra função pública", embora sem especificar quais seriam essas funções

Aécio neves se reúne com os senadores Tasso Jereissati (CE), Antonio Anastasia (MG), Cássio Cunha Lima (PB) e José Serra (SP)
Aécio neves se reúne com os senadores Tasso Jereissati (CE), Antonio Anastasia (MG), Cássio Cunha Lima (PB) e José Serra (SP) (Foto: Giuliana Miranda)

Brasília 247 - O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) publicou na noite desta terça-feira, 30, uma foto de uma reunião com colegas do partido na Casa, Tasso Jereissati (CE), Antonio Anastasia (MG), Cássio Cunha Lima (PB) e José Serra (SP) para, segundo ele, discutir votações no Congresso e agenda política.

"Me reuni hoje com os senadores Tasso Jereissati, Anastasia, Cássio C. Lima e José Serra. Na pauta, votações no Congresso e agenda política", escreveu o parlamentar afastado nas suas redes sociais.

A postagem do tucano, que é investigado por corrupção passiva, obstrução de investigação relacionada à organização criminosa e participação em organização criminosa , pode ser interpretada como uma afronta ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Na decisão do ministro Edson Fachin sobre o afastamento do cargo de senador, fala-se apenas em "suspensão das funções parlamentares ou de qualquer outra função pública", sem especificar quais seriam essas funções. Aécio também está proibido de "contatar qualquer outro investigado ou réu no conjunto de feitos em tela", o que significa que não pode entrar em contato com outros investigados ou réus do inquérito - antes do desmembramento da investigação feito por Fachin nesta terça-feira, eram o presidente Michel Temer e o deputado suplente Rodrigo Rocha Loures. O senador também está proibido de se ausentar do País, devendo entregar seus passaportes.

 

A defesa de Aécio informou que "o senador Aécio Neves não está impedido de receber visitas. A única restrição é manter contato com pessoas investigadas no mesmo processo. O senador está impedido de exercer seu mandato parlamentar, o que não foi o caso da reunião de ontem", disse o advogado Alberto Zacharias Toron.

As informações são de reportagem de Elisa Clavery no Estado de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247