HOME > Brasília

Agnelo volta a rebater críticas de Rollemberg

O ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) participou das manifestações contra o impeachment da presidente Dilma; o petista rebateu algumas declarações feitas contra ele pelo atual chefe do executivo Rodrigo Rollemberg e pelo ex-senador Valmir Amaral; Agnelo desmentiu a acusação feita pelo seu sucessor de ter deixado um rombo de R$ 3 bilhões nos cofres do governo; O" rombo foi desmascarado. É só ver os balanços que ele [Rollemberg] mandou para a Câmara Legislativa. O próprio Hélio Doyle [ex-secretário-chefe da Casa Civil] desmentiu. Cada secretário tem um número"

O ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) participou das manifestações contra o impeachment da presidente Dilma; o petista rebateu algumas declarações feitas contra ele pelo atual chefe do executivo Rodrigo Rollemberg e pelo ex-senador Valmir Amaral; Agnelo desmentiu a acusação feita pelo seu sucessor de ter deixado um rombo de R$ 3 bilhões nos cofres do governo; O" rombo foi desmascarado. É só ver os balanços que ele [Rollemberg] mandou para a Câmara Legislativa. O próprio Hélio Doyle [ex-secretário-chefe da Casa Civil] desmentiu. Cada secretário tem um número" (Foto: Leonardo Lucena)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Brasília 247 - O ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) participou, nessa quinta-feira (31), das manifestações contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. O petista rebateu algumas declarações feitas contra ele pelo atual chefe do executivo Rodrigo Rollemberg e pelo ex-senador Valmir Amaral.

Agnelo desmentiu a acusação feita pelo seu sucessor de ter deixado um rombo de R$ 3 bilhões nos cofres do governo.  

"O rombo foi desmascarado. É só ver os balanços que ele [Rollemberg] mandou para a Câmara Legislativa. O próprio Hélio Doyle [ex-secretário-chefe da Casa Civil] desmentiu. Cada secretário tem um número", afirmou, conforme relato do Correio. O ex-governador preferiu não fazer uma avaliação dos primeiros 15 meses do governo de Rollemberg. "Isso é o povo que vai dizer", acrescentou.

Sobre Valmir Amaral, Agnelo limitou-se a questionar: "O que você espera de um cidadão como esse?". Valmir é filho de Dalmo Josué do Amaral, patriarca do Grupo Amaral. Ele afirma que o pai "morreu de desgosto de ser roubado por Agnelo".

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: