Aliados de Maia pressionam por “parlamentarismo branco”

Deputados aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), querem pressionar Michel Temer a ampliar o espaço do Congresso e do próprio Maia na tomada de decisões; o grupo quer  a criação de um gabinete composto por membros do governo e do Parlamento; e estrutura serviria para acelerar a discussão de ações para a economia; a proposta –praticamente de adoção de um parlamentarismo branco– prevê que Maia articule nova reforma da Previdência tão logo a denúncia contra Temer seja derrubada

rodrigo maia
michel temer
 
rodrigo maia michel temer   (Foto: Giuliana Miranda)

Brasília 247 - Deputados que pretendem pressionar Michel Temer a ceder espaço ao Congresso e ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pregam a criação de um gabinete composto por membros do governo e do Parlamento logo após a votação da denúncia. A estrutura serviria para acelerar a discussão de ações para a economia. A proposta –praticamente de adoção de um parlamentarismo branco– prevê que Maia articule nova reforma da Previdência tão logo a queixa seja derrubada.

A tese vem sendo empacotada como a única opção que garantiria governabilidade e evitaria a paralisação do país até o fim de 2018. A articulação extrapolou o grupo mais próximo de Maia e ganhou espaço entre deputados que são alinhados ao peemedebista.

Integrantes do Planalto, por sua vez, não demonstram grande entusiasmo com a ideia. Dizem que Temer só precisa segurar as pontas até o fim deste ano.

Até o início de abril todos os ministros que quiserem concorrer à eleição precisarão sair dos cargos. Melhor janela para uma reformulação na Esplanada não há, argumentam.

Maia também tem pedido menos entusiasmo com o assunto. Para o presidente da Câmara só será possível medir a força do governo após coletar os votos pró-Temer na denúncia.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247