Aloysio ameaça barrar novo embaixador na Bolívia

Senador Aloysio Ferreira (PSDB-SP) cobra explicações do Itamaraty sobre caso Molina e diz que Comissão de Relações Exteriores do Senado não vai aprovar novo embaixador no país; governo brasileiro teria pressionado o senador Roger Pinto Molina, que fugiu ao Brasil, a abrir mão do asilo: "Eu sabia que a diplomacia no governo Dilma havia perdido sua ambição de protagonismo. Agora percebi que perdeu também a vergonha", disse Aloysio

Senador Aloysio Ferreira (PSDB-SP) cobra explicações do Itamaraty sobre caso Molina e diz que Comissão de Relações Exteriores do Senado não vai aprovar novo embaixador no país; governo brasileiro teria pressionado o senador Roger Pinto Molina, que fugiu ao Brasil, a abrir mão do asilo: "Eu sabia que a diplomacia no governo Dilma havia perdido sua ambição de protagonismo. Agora percebi que perdeu também a vergonha", disse Aloysio
Senador Aloysio Ferreira (PSDB-SP) cobra explicações do Itamaraty sobre caso Molina e diz que Comissão de Relações Exteriores do Senado não vai aprovar novo embaixador no país; governo brasileiro teria pressionado o senador Roger Pinto Molina, que fugiu ao Brasil, a abrir mão do asilo: "Eu sabia que a diplomacia no governo Dilma havia perdido sua ambição de protagonismo. Agora percebi que perdeu também a vergonha", disse Aloysio (Foto: Roberta Namour)

247 – O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) alerta que a Comissão de Relações Exteriores do Senado não vai aprovar um novo embaixador brasileiro na Bolívia. Parlamentares cobram do Itamaraty documentos referentes ao caso do senador Roger Pinto Molina.

Em agosto do ano passado, o diplomata Eduardo Saboia transportou o parlamentar boliviano, que diz ser perseguido politicamente, para o Brasil, por Mato Grosso do Sul, sem autorização. Molina estava asilado na embaixada brasileira em La Paz há 453 dias. O episódio causou a demissão do então ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota e uma crise com o governo do presidente Evo Morales.

Reportagem da Folha de S. Paulo deste domingo afirma, com base em telegramas diplomáticos e depoimentos secretos da sindicância de Saboia que o governo brasileiro questionou o senador boliviano se ele estaria disposto a "abrir mão do asilo enviando uma carta à presidente Dilma Rousseff". O senador não concordou com o plano.

"Eu sabia que a diplomacia no governo Dilma havia perdido sua ambição de protagonismo. Agora percebi que perdeu também a vergonha", disse Aloysio Nunes.

Leia aqui a matéria de Patrícia Campos Mello sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247