Amigo de estudante picado por naja é preso por suspeita de obstrução de investigações

Gabriel Ribeiro foi preso nesta quarta-feira e também será multado em R$ 81,3 mil por atrapalhar a atuação do Ibama

Cobra naja
Cobra naja (Foto: Divulgação/Instituto Butantan)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu nesta quarta-feira (22)  Gabriel Ribeiro, amigo do estudante Pedro Henrique Krambeck, que foi picado por uma cobra naja.

A prisão se dá por conta de suspeitas de que Gabriel estaria atrapalhando investigações acerca de um suposto esquema de tráfico de animais.

A polícia diz que Gabriel tenta esconder provas desde o início das investigações e que ele é o responsável por levar 16 serpentes de Pedro Krambeck para um haras, em Planaltina, além de esconder a naja próximo a um shopping da capital

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) comunicou que Gabriel será multado em R$ 81,3 mil por também atrapalhar a atuação do órgão.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247