Apoiadores radicais do governo demonstram insatisfação com trégua entre Bolsonaro, Congresso e STF

A jornalista da Folha de S. Paulo, Mônica Bergamo, fez uma apanhado de falas dos integrantes das alas mais radicais do governo Bolsonaro que demonstram descontentamento com a nova polícia silenciosa do governo federal

Bolsonaro recebe Dias Toffoli, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre no Palácio da Alvorada
Bolsonaro recebe Dias Toffoli, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre no Palácio da Alvorada (Foto: HANDOUT / REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Integrantes das alas bolsonarista e olavista do governo federal já estão demonstrando insatisfação com a trégua entre Jair Bolsonaro, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), segundo levantamento da jornalista da Folha de S. Paulo Mônica Bergamo.

A jornalista fez um apanhado de algumas falas públicas de integrantes destas alas, como o blogueiro Allan dos Santos, que já usou o Twitter para criticar Bolsonaro.

“O ‘Acabou, porra’ era para parar o conservadorismo e deixar que ele fosse criminalizado?”, escreveu Allan na última quinta-feira (9) em referência à fala de Bolsonaro na época em que foram deflagradas operações contra aliados bolsonaristas. Desde então, Jair Bolsonaro não se pronunciou mais sobre o caso.

O blogueiro Allan também já exigiu provas de que Bolsonaro continuará insistindo na guerra ideológica no Ministério da Educação. “Esquerda está quieta pois consegue tudo o que quer”. 

Carlos Bolsonaro, um dos mais fortes representantes do núcleo duro bolsonarista, é outro que vem demonstrando inquietação nas redes sociais.

A AP Exata, que faz monitoramento de redes sociais, afirmou que os bolsonaristas radicais estão insatisfeitos e que pode haver uma ruptura. “Eles têm ganhado força política autônoma. Um exemplo é o ex-ministro Abraham Weintraub [da Educação], liderança do grupo que se capacitou para alçar voos próprios”, explica Sergio Denicoli, diretor da consultoria.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email