Arruda terá de devolver verba superfaturada em contratos com Linknet

A Justiça do Distrito Federal mandou o ex-governador José Roberto Arruda e mais quatro pessoas a devolverem R$ 11,85 milhões aos cofres públicos, depois de terem sido condenados por superfaturamento nos contratos do governo com a Linknet Serviços de Informática; o juíz Daniel Carnacchioni, da 2ª Vara de Fazenda Pública, também determinou a suspensão por oito anos dos direitos políticos do grupo e o pagamento de multa de cerca de R$ 4 milhões; eles não poderão participar de licitações com o poder público por dez anos

A Justiça do Distrito Federal mandou o ex-governador José Roberto Arruda e mais quatro pessoas a devolverem R$ 11,85 milhões aos cofres públicos, depois de terem sido condenados por superfaturamento nos contratos do governo com a Linknet Serviços de Informática; o juíz Daniel Carnacchioni, da 2ª Vara de Fazenda Pública, também determinou a suspensão por oito anos dos direitos políticos do grupo e o pagamento de multa de cerca de R$ 4 milhões; eles não poderão participar de licitações com o poder público por dez anos
A Justiça do Distrito Federal mandou o ex-governador José Roberto Arruda e mais quatro pessoas a devolverem R$ 11,85 milhões aos cofres públicos, depois de terem sido condenados por superfaturamento nos contratos do governo com a Linknet Serviços de Informática; o juíz Daniel Carnacchioni, da 2ª Vara de Fazenda Pública, também determinou a suspensão por oito anos dos direitos políticos do grupo e o pagamento de multa de cerca de R$ 4 milhões; eles não poderão participar de licitações com o poder público por dez anos (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247- A Justiça do Distrito Federal mandou o ex-governador José Roberto Arruda e parte da equipe que integrava a gestão dele devolverem R$ 11,85 milhões aos cofres públicos, depois de terem sido condenados por superfaturamento nos contratos do governo com a Linknet Serviços de Informática. O juíz Daniel Carnacchioni, da 2ª Vara de Fazenda Pública, também determinou a suspensão por oito anos dos direitos políticos do grupo e o pagamento de multa de cerca de R$ 4 milhões. Eles não poderão participar de licitações com o poder público por dez anos. Cabe recurso.

Além de Arruda, foram condenados o ex-secretário José Geraldo Maciel, o delator da Caixa de Pandora, Durval Barbosa, o ex-presidente da então Agência de Informática do GDF Luiz Paulo da Costa e o dono da Linknet, Gilberto Lucena. O empresário Paulo Otávio foi absolvido por falta de provas. A TV Globo não conseguiu ouvir os citados.

De acordo com o delator Durval Barbosa, o esquema de corrupção conhecido como Mensalão do DEM ocorria por meio contratos de emergência e em faturas de "reconhecimento de dívida". Ele afirmou à Justiça que quase todos os serviços prestados pelas empresas participantes do esquema eram superfaturados, prevendo um pagamento de 10% destinados a propina.

A acusação apontou que os contratos da Linknet com o governo do Distrito Federal para fornecer equipamentos e programas de computador terminaram em janeiro de 2007, mas serviços foram pagos até junho de 2009. Foram dois reconhecimentos de dívidas: nos valores de R$ 37,5 milhões e R$ 63,8 milhões.

 

 

 

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247