Assessor de Temer recebeu R$ 2 milhões em 2014, diz delator

Mais um auxiliar de Michel Temer é citado como beneficiário de propina da Odebrecht; o ex-executivo da empresa João Pacífico disse que Tadeu Filippelli, ex-vice-governador do Distrito Federal pelo PMDB e atual assessor especial da Presidência da República, recebeu R$ 2 milhões em 2014 para favorecer a Odebrecht nas obras do Centro Administrativo do Distrito Federal; "Diante da proximidade das eleições de 2014, condicionamos o pagamento dos valores ilícitos (...) para pressionar o governo do Distrito Federal a se empenhar no cumprimento de suas obrigações perante a Centrad", disse Pacífico, segundo ele, o ex-governador Agnelo Queiroz (PT) também tinha ciência dos ilícitos 

Michel Temer
Tadeu Filippelli
Michel Temer Tadeu Filippelli (Foto: Aquiles Lins)

247 - Em depoimento à Procuradoria-Geral da República, o delator da Odebrecht João Pacífico afirmou que pagou propina de R$ 2 milhões ao assessor especial da Presidência da República Tadeu Filippelli (PMDB) em 2014. 

Na época, Filippelli era vice-governador do Distrito Federal e teria recebido o dinheiro para beneficiar a Odebrecht nas obras do Centro Administrativo do Distrito Federal (Centrad). 

Ele entregou aos procuradores três tabelas que se referem às etapas contratuais a serem cumpridas e os valores da propina. Duas dessas se referem aos valores que seriam pagos ao governador e ao vice.

Segundo Pacífico, os pagamentos foram feitos a um interlocutor dos políticos em cafés e restaurantes. O codinome dessas operações era "Comprido" ou "Cumprido".

Pacífico disse que teve reuniões com Filippelli no Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal, na residência oficial e em restaurantes de Brasília para tratar do contrato do Centrad.

"Nesses encontros, embora eu não tenha tratado abertamente com o vice-governador sobre o pagamento da propina, ficava evidente, para mim, que ele tinha total conhecimento do acerto e das etapas previstas nas tabelas, tendo demonstrado claramente o seu interesse no cumprimento", disse.

Em vídeo, Filippelli se defendeu das acusações. "A mídia veiculou a delação de um executivo de uma grande empreiteira envolvendo meu nome. Ainda não tenho conhecimento de tudo o que foi declarado", diz o peemedebista.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247