Ato público no Congresso repudia Reforma da Previdência

Ato público no Congresso criticou a Reforma da Previdência nesta terça-feira (6); o ato contou com a presença de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), além de parlamentares da oposição e movimentos sociais; para Boulos, as aposentadorias dos trabalhadores não são causa do déficit da Previdência: "O que torna a Previdência insustentável é a sonegação e a dívida de grandes corporações com a Previdência", disse Boulos

Ato público no Congresso criticou a Reforma da Previdência nesta terça-feira (6); o ato contou com a presença de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), além de parlamentares da oposição e movimentos sociais; para Boulos, as aposentadorias dos trabalhadores não são causa do déficit da Previdência: "O que torna a Previdência insustentável é a sonegação e a dívida de grandes corporações com a Previdência", disse Boulos
Ato público no Congresso criticou a Reforma da Previdência nesta terça-feira (6); o ato contou com a presença de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), além de parlamentares da oposição e movimentos sociais; para Boulos, as aposentadorias dos trabalhadores não são causa do déficit da Previdência: "O que torna a Previdência insustentável é a sonegação e a dívida de grandes corporações com a Previdência", disse Boulos (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - Um ato público no Congresso Nacional criticou a Reforma da Previdência nesta terça-feira (6). O evento contou com a presença de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), além de parlamentares da oposição, movimentos sociais, dentre outros.

Para Boulos, as pensões dos trabalhadores do setor público e privado não são as causadoras do déficit da Previdência. "O que torna a Previdência insustentável é a sonegação e a dívida absurda de grandes corporações com a Previdência Social", disse Boulos no evento.

Assista o vídeo ao vivo do protesto:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247