Bolsonaro já aparelhou reitoria de 10 universidades federais ao descartar lista tríplice

Das 38 listas tríplices recebidas de universidades federais desde que assumiu a o mandato, Jair Bolsonaro não respeitou o vencedor em nove dos casos e em um deles o nomeado não estava nem entre os indicados pela comunidade acadêmica

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nóbrega - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro desconsiderou em pelo menos 10 casos o primeiro colocado na lista tríplice para reitorias em universidades federais. Das 38 listas tríplices recebidas de universidades federais desde que assumiu a o mandato, Bolsonaro não respeitou o vencedor em nove dos casos e em um deles o nomeado não estava nem entre os indicados pela comunidade acadêmica.

Outras 12 instituições, entre elas a Universidade de Brasília (UnB), que reelegeu Márcia Abrahão, com 54% dos votos, no fim de agosto, aguardam a decisão de Bolsonaro, de acordo com levantamento do site Metrópoles

A última nomeação foi de Carlos André Bulhões, amigo do deputado Bibo Nunes (PSL-RS), para reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

A Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais emitiu uma nota nesta quarta-feira (16) repudiando a nomeação de Bulhões.

"A Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais repudia veementemente mais uma tentativa de Jair Bolsonaro de intervir na nomeação de Reitores e tentar impor, de forma antidemocrática e utilizando critérios partidários, dirigentes não aprovados no crivo da comunidade universitária", diz o texto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247