Bolsonaro não terá apoio irrestrito de base aliada no decreto das armas

A tendência é que Bolsonaro perceba que sua nova base aliada tem reservas em relação a algumas pautas de seu governo, principalmente àquelas ligadas aos costumes

Jair Bolsonaro e Arthur Lira
Jair Bolsonaro e Arthur Lira (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Desde que se empenhou na campanha do deputado federal Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara dos Deputados, Jair Bolsonaro tem agora seu primeiro teste com a nova base aliada na Casa: os quatro decretos de flexibilização de compra de armas e munições editados na última sexta-feira (12).

Os decretos são questionados por parlamentares de oposição e até mesmo por aqueles de siglas aliadas ao governo federal.

Parlamentares disseram ao jornal O Globo que tais decretos mostrarão a Bolsonaro que ele não terá apoio irrestrito da base aliada na votação de pautas de seu interesse, principalmente naquelas que se referem à agenda dos costumes.

Com isso, o governo federal precisará articular a negociação partindo sempre do zero.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email