Bolsonaro pode fazer as indicações ao Supremo só em 2021

Conselheiros de Jair Bolsonaro defenderam que o nome do substituto do ministro Celso de Mello, no STF, seja anunciado em fevereiro de 2021, após senadores escolherem o novo presidente do Senado

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nóbrega - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Conselheiros de Jair Bolsonaro defenderam que o nome do substituto do ministro Celso de Mello, no Supremo Tribunal Federal, seja anunciado em fevereiro de 2021, após senadores escolherem o novo presidente do Senado. A informação foi publicada pela coluna de Guilherme Amado. Para assumir a cadeira na Corte, o novo indicado ao Supremo precisa ser sabatinado por senadores. 

Celso de Mello se aposenta do STF em novembro, depois das eleições municipais. 

Parlamentares só retomem as atividades em fevereiro, após as eleições das presidências das duas Casas - Senado e Câmara dos Deputados. 

Bolsonaro poderá indicar o substituto de Marco Aurélio Mello, que se aposenta em 2021.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247