Câmara ressuscita projeto de lei que tira poder de governadores sobre as PMs

O PL, construído com apoio do governo Jair Bolsonaro, pode ser votado já nesta terça-feira

www.brasil247.com - Formatura de  soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo.
Formatura de soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo. (Foto: Diogo Moreira/A2 FOTOGRAFIA)


247 - A Câmara dos Deputados "ressuscitou", segundo o Estado de S. Paulo, o Projeto de Lei (PL) 164/2019 que diminui o controle das polícias militares pelos governadores. O PL pode ser votado já nesta terça-feira (2).

De acordo com o texto, os comandantes-gerais das PMs seriam escolhidos a partir de uma lista tríplice, com mandatos de dois anos. O projeto também prevê autonomia orçamentária às polícias. 

Segundo a reportagem, a tendência é de aprovação do projeto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A elaboração do PL teve todos os passos acompanhados pelo governo Jair Bolsonaro (PL), que fez sugestões por intermédio do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O PL é de autoria do deputado federal José Nelto (Progressistas-GO), mas foi modificado por parlamentares bolsonaristas, como a deputada Major Fabiana (PL-RJ) e o Cabo Junio Amaral (PL-MG).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email