Camponeses fazem manifestação em Brasília

Manifestantes do Movimento Camponês Popular protestam de forma pacífica por melhores condições de trabalho no campo, em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em Brasília; o ato integra a Jornada de Luta em Defesa da Produção de Alimentos Saudáveis e pelos Direitos das Mulheres Camponesas que vai até amanhã (12)

Manifestantes do Movimento Camponês Popular protestam de forma pacífica por melhores condições de trabalho no campo, em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em Brasília; o ato integra a Jornada de Luta em Defesa da Produção de Alimentos Saudáveis e pelos Direitos das Mulheres Camponesas que vai até amanhã (12)
Manifestantes do Movimento Camponês Popular protestam de forma pacífica por melhores condições de trabalho no campo, em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em Brasília; o ato integra a Jornada de Luta em Defesa da Produção de Alimentos Saudáveis e pelos Direitos das Mulheres Camponesas que vai até amanhã (12) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil

Manifestantes do Movimento Camponês Popular protestam de forma pacífica por melhores condições de trabalho no campo, em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em Brasília. O ato integra a Jornada de Luta em Defesa da Produção de Alimentos Saudáveis e pelos Direitos das Mulheres Camponesas que vai até amanhã (12).

Os camponeses, estimados em 2 mil pelo movimento e em 500 pela Polícia Militar, chegaram ao prédio, na Esplanada dos Ministérios, por volta das 5h de hoje (11). Eles montaram cerca de 200 barracas no pátio do estacionamento e nas duas portarias do edifício. Os funcionários estão entrando pela garagem do ministério.

De acordo com a organização do movimento, o Brasil está cada vez mais dependente da importação de alimentos básicos, enquanto exporta soja e outras commodities. Os camponeses também reivindicam a preservação da agrobiodiversidade, o respeito à identidade da população do campo e a construção da soberania alimentar.

Segundo Jéssica Britto, da direção nacional do movimento, a jornada acontece todos os anos no mês de março motivada pelo Dia Internacional das Mulheres. "É um momento de luta dos camponeses e de mostrar a nossa insatisfação", disse.

Entre os pontos centrais da pauta de reivindicações está o Plano Safra porque, segundo Jéssica, ele não atende aos pequenos agricultores. "O plano é destinado a esse público, mas quando chega nas comunidades, as famílias não conseguem acessá-lo pela burocracia e falta de assistência técnica. Isso tem causado grande exclusão dos pequenos agricultores gerando cada vez mais pobreza no campo", afirmou.

Os camponeses também querem mais recursos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e para o Programa Nacional de Habitação Rural. "Viemos denunciar o descaso com o campo", disse Jéssica.

O movimento espera mobilizar 3 mil camponeses de Goiás, do Piauí e da Bahia até o fim do dia.

A assessoria do MDA disse que nenhuma liderança do movimento entrou em contato até o momento com a pasta para agendar audiência com um representante do ministério.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email