Celso de Mello condena pretensão do Estado em controlar o que pode ou não ser dito

Em meio a ameaças do governo contra a imprensa, o decano do Supremo Tribunal Fedral (STF) Celso de Mello condenou a ação do Estado em controlar a liberdade de expressão. Ele diz: "nada é mais perigoso que a pretensão do estado e seus agentes de regular o direito à liberdade de expressão"

(Foto: STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em meio a ameaças do governo contra a imprensa, o decano do Supremo Tribunal Fedral (STF) Celso de Mello condenou  a ação do Estado em controlar a liberdade de expressão. Ele diz: "nada é mais perigoso que a pretensão do estado e seus agentes de regular o direito à liberdade de expressão." 

O ministro foi enfático ao sublinhar que uma imprensa livre é fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos.

Celso de Mello disse ainda: "recebo como uma distinção de grande importância, especialmente em um momento em que vozes autoritárias no nosso país insurgem contra a liberdade de expressão. Temos que nos insurgir contra ensaios autoritários".

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "o decano, que está no STF desde 1989 e deve se aposentar em 2020, foi escolhido para receber a honraria por seu papel na corte em defesa da democracia e das decisões favoráveis à liberdade de imprensa e ao jornalismo independente, diz a associação."

A matéria ainda acrescenta que "em abril deste ano, por exemplo, o magistrado anulou decisões da Justiça do Paraná que determinaram que a rádio Jovem Pan removesse do seu site vídeo em que o comentarista Marco Antonio Villa falava sobre os salários dos ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça)."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247