Celso de Mello condena pretensão do Estado em controlar o que pode ou não ser dito

Em meio a ameaças do governo contra a imprensa, o decano do Supremo Tribunal Fedral (STF) Celso de Mello condenou a ação do Estado em controlar a liberdade de expressão. Ele diz: "nada é mais perigoso que a pretensão do estado e seus agentes de regular o direito à liberdade de expressão"

(Foto: STF)

247 - Em meio a ameaças do governo contra a imprensa, o decano do Supremo Tribunal Fedral (STF) Celso de Mello condenou  a ação do Estado em controlar a liberdade de expressão. Ele diz: "nada é mais perigoso que a pretensão do estado e seus agentes de regular o direito à liberdade de expressão." 

O ministro foi enfático ao sublinhar que uma imprensa livre é fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos.

Celso de Mello disse ainda: "recebo como uma distinção de grande importância, especialmente em um momento em que vozes autoritárias no nosso país insurgem contra a liberdade de expressão. Temos que nos insurgir contra ensaios autoritários".

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "o decano, que está no STF desde 1989 e deve se aposentar em 2020, foi escolhido para receber a honraria por seu papel na corte em defesa da democracia e das decisões favoráveis à liberdade de imprensa e ao jornalismo independente, diz a associação."

A matéria ainda acrescenta que "em abril deste ano, por exemplo, o magistrado anulou decisões da Justiça do Paraná que determinaram que a rádio Jovem Pan removesse do seu site vídeo em que o comentarista Marco Antonio Villa falava sobre os salários dos ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça)."

Ao vivo na TV 247 Youtube 247