Celso de Mello decide com equipe de comunicação do STF como vídeo da reunião será divulgado

O ministro Celso de Mello reuniu com a equipe de comunicação do STF, para definir como será a logística de divulgação do vídeo sobre uma reunião ministerial de Jair Bolsonaro com membros do governo que aconteceu no dia 22 de abril. No encontro Bolsonaro pediu interferências na PF, de acordo com Sérgio Moro

Ministro Celso de Mello preside sessão da 2ª turma do STF. (28/05/2019)
Ministro Celso de Mello preside sessão da 2ª turma do STF. (28/05/2019) (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Celso de Mello reuniu com a equipe de comunicação do Supremo Tribunal Federal, para definir como será a logística de divulgação do vídeo sobre uma reunião ministerial de Jair Bolsonaro com membros do governo que aconteceu no dia 22 de abril. A informação é da jornalista Cristiana Lobo, comentarista da Globonews. A expectativa é que a divulgação do vídeo seja feita até o fim da tarde desta sexta-feira (22).

Uma das discussões é se o vídeo será divulgado junto com a decisão de publicá-lo na íntegra, como definiu o ministro, ou em um momento posterior. A reunião teria sido marcada por palavrões, briga de ministros, anúncio de distribuição de cargos para o Centrão e ameaça de Jair Bolsonaro de demissões em massa caso não fosse feita a defesa das pautas do governo. 

Na reunião Bolsonaro pediu interferências na Polícia Federal, afirmou, no dia 24 de abril, o então ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, em coletiva de imprensa. Na ocasião, o ex-juiz pediu demissão após Bolsonaro exonerar Maurício Valeixo da Diretoria-Geral da PF. "O presidente me relatou que queria ter uma indicação pessoal dele para ter informações pessoais. E isso não é função da PF", disse Moro, ao apontar crime de responsabilidade de  Bolsonaro. 

O ministro Celso de Mello havia autorizado a abertura de um inquérito com o objetivo de apurar as acusações de Moro. Acuado com as investigações, Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (21) em transmissão por rede social que não é o caso de tornar público o conteúdo completo do vídeo da reunião. "Eu só peço, não divulguem a fita toda", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247