CLDF adia pela 2ª vez decisão sobre Sandra Faraj

A Câmara Legislativa do Distrito Federal adiou pela segunda vez a decisão sobre o futuro da deputada distrital Sandra Faraj (SD) na Casa, que responde a processo por quebra de decoro parlamentar envolvendo o uso da verba indenizatória; de acordo com a Mesa Diretora, existe suspeita de que uma das notas fiscais apresentadas pela defesa é falsa porque não tem registro na Receita Federal

A Câmara Legislativa do Distrito Federal adiou pela segunda vez a decisão sobre o futuro da deputada distrital Sandra Faraj (SD) na Casa, que responde a processo por quebra de decoro parlamentar envolvendo o uso da verba indenizatória; de acordo com a Mesa Diretora, existe suspeita de que uma das notas fiscais apresentadas pela defesa é falsa porque não tem registro na Receita Federal
A Câmara Legislativa do Distrito Federal adiou pela segunda vez a decisão sobre o futuro da deputada distrital Sandra Faraj (SD) na Casa, que responde a processo por quebra de decoro parlamentar envolvendo o uso da verba indenizatória; de acordo com a Mesa Diretora, existe suspeita de que uma das notas fiscais apresentadas pela defesa é falsa porque não tem registro na Receita Federal (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - A Câmara Legislativa do Distrito Federal adiou pela segunda vez a decisão sobre o futuro da deputada distrital Sandra Faraj (SD) na Casa, que responde a processo por quebra de decoro parlamentar envolvendo o uso da verba indenizatória. Segundo a Mesa Diretora, existe suspeita de que uma das notas fiscais apresentadas pela defesa é falsa porque não tem registro na Receita Federal. Como consequência, foi ampliado o prazo para a defesa da distrital se pronunciar.

A direção da Câmara decidiu convocou uma reunião interna nesta quarta-feira (22) às 9h, para decidir se mantém o processo em curso, enviando para a Corregedoria, ou se arquivam o pedido de abertura de processo contra a parlamentar. "Estamos tomando uma decisão técnica e política por isso estamos tomando todos os cuidados necessários para que não haja retrocessos nesse processo, como alguma nulidade que leve ao arquivamento", afirmou o presidente Joe Valle (PDT). O relato foi publicado no G1.

A Mesa Diretora da Câmara avalia o pedido de investigação contra a parlamentar feita pela ONG Adote um Distrital, do dia 24 de fevereiro, consequente da denúncia do empresário Filipe Nogueira. Ele trabalhou no gabinete de Sandra Faraj e, ao mesmo tempo, a empresa de sua mulher, a NetPub, prestou serviços para a distrital. De acordo com o empresário, os serviços não foram remunerados, mesmo tendo a deputada recebido verba indenizatória para tal finalidade.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247