Com medo, Weintraub recorre ao STF contra ordem de Celso de Mello para que deponha à PF por racismo

O clima no governo é de tensão e medo, devido a maior operação contra fake news já realizada no país - que fere de morte a estrutura do bolsonarismo. A defesa do ministro da Educação, Abraham Weintraub, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um recurso contra a decisão da Corte que determinou o depoimento dele à Polícia Federal por crime de racismo

Ministro da Educação Abraham Weintraub
Ministro da Educação Abraham Weintraub (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, entrou com um recurso contra a determinação imposta pelo STF para depor à PF por crime de racismo. A Polícia Federal já comunicou ao ministro que o depoimento está marcado para o próximo dia 4, às 15h. 

A reportagem do portal G1 destaca que “os advogados de Weintraub afirmam que Celso de Mello não considerou as prerrogativas dele por ocupar o cargo de ministro de Estado. Segundo a defesa, Weintraub tem o direito de escolher o dia e o horário para ser ouvido pela PF.”

A matéria ainda acrescenta que “a PF marcou o depoimento para ouvir o ministro no âmbito do inquérito que investiga suposto crime de racismo. No início de abril, Weintraub insinuou em uma rede social que a China poderia se beneficiar, de propósito, da crise mundial causada pelo coronavírus. Depois, ele apagou o texto.”

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247