Comissão encerra destaques e reforma da Previdência vai a plenário

Comissão da Reforma da Previdência encerrou nesta terça-feira, 9, a votação dos destaques ao texto principal da proposta; texto agora segue para o plenário da Casa, onde precisa de 308 votos favoráveis em duas votações para seguir para o Senado; Comissão rejeitou, por 21 votos a 14, o destaque do Psol para emenda que condiciona a vigência da reforma à realização de um referendo popular

Comissão da Reforma da Previdência encerrou nesta terça-feira, 9, a votação dos destaques ao texto principal da proposta; texto agora segue para o plenário da Casa, onde precisa de 308 votos favoráveis em duas votações para seguir para o Senado; Comissão rejeitou, por 21 votos a 14, o destaque do Psol para emenda que condiciona a vigência da reforma à realização de um referendo popular
Comissão da Reforma da Previdência encerrou nesta terça-feira, 9, a votação dos destaques ao texto principal da proposta; texto agora segue para o plenário da Casa, onde precisa de 308 votos favoráveis em duas votações para seguir para o Senado; Comissão rejeitou, por 21 votos a 14, o destaque do Psol para emenda que condiciona a vigência da reforma à realização de um referendo popular (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - A Comissão da Reforma da Previdência encerrou nesta terça-feira, 9, a votação dos destaques ao texto principal da proposta. O texto agora segue para o plenário da Casa, onde precisa de 308 votos favoráveis em duas votações para seguir para o Senado.

A Comissão rejeitou, por 21 votos a 14, o destaque do Psol para emenda que condiciona a vigência da reforma à realização de um referendo popular. O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) disse que não poderia ser a favor de um referendo porque, segundo ele, não é isso o que a população quer. "As pessoas querem é emprego", afirmou.

Para o deputado Ivan Valente (Psol-SP), as pesquisas mostram que a grande maioria da população é contra a reforma. O deputado afirmou que o governo está apostando tudo em um ajuste fiscal que vai aprofundar a recessão.

Com o fim da análise dos destaques, a proposta de reforma da Previdência seguirá para o Plenário da Câmara dos Deputados, onde precisa ser votada em dois turnos. Se aprovada em Plenário, a reforma seguirá para o Senado. (Com informações da Agência Câmara)

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247