Costa e Cerveró ficarão cara a cara na CPI dia 2

Comissão mista marcou para o dia 2 de dezembro a acareação entre os ex-diretores da Petrobras Nestor Cerveró, da Área Internacional, e Paulo Roberto Costa, de Abastecimento, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato; Costa disse em depoimento que os diretores da estatal recebiam 3% do valor dos contratos em propina para beneficiar partidos; Cerveró negou conhecer qualquer esquema de desvio de recursos

Comissão mista marcou para o dia 2 de dezembro a acareação entre os ex-diretores da Petrobras Nestor Cerveró, da Área Internacional, e Paulo Roberto Costa, de Abastecimento, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato; Costa disse em depoimento que os diretores da estatal recebiam 3% do valor dos contratos em propina para beneficiar partidos; Cerveró negou conhecer qualquer esquema de desvio de recursos
Comissão mista marcou para o dia 2 de dezembro a acareação entre os ex-diretores da Petrobras Nestor Cerveró, da Área Internacional, e Paulo Roberto Costa, de Abastecimento, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato; Costa disse em depoimento que os diretores da estatal recebiam 3% do valor dos contratos em propina para beneficiar partidos; Cerveró negou conhecer qualquer esquema de desvio de recursos (Foto: Gisele Federicce)

Agência Câmara - A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras marcou para o dia 2 de dezembro a acareação entre os ex-diretores da Petrobras Nestor Cerveró, da Área Internacional, e Paulo Roberto Costa, de Abastecimento, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.

Costa disse, em depoimento à Justiça Federal no Paraná, que os diretores da Petrobras recebiam 3% do valor dos contratos com grandes empreiteiras de propina para beneficiar, pelo menos, três partidos (PP, PMDB e PT). O diretor da Área Internacional teria sido indicado ao cargo pelo PMDB e sua diretoria financiaria o partido.

Cerveró era diretor na mesma época de Costa e negou, em depoimento à CPMI em 10 de setembro, conhecer qualquer esquema de desvio de recursos na estatal. Ele foi um dos principais articuladores da aquisição da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. A compra gerou um prejuízo de US$ 792 milhões à Petrobras, de acordo com decisão do Tribunal de Contas da União de julho.

A solicitação foi feita pelo deputado Enio Bacci (PDT-RS) e aprovada na reunião da CPMI realizada na última terça-feira (18). "O Paulo Roberto afirmou que o Cerveró recebeu propina, sim, e o Cerveró negou em 10 de setembro. Vamos colocar os dois frente a frente", disse.

O líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), votou contra a acareação e lembrou que Costa já esteve na comissão e decidiu não falar nada.

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da operação Lava Jato, já autorizou a ida de Paulo Roberto Costa ao Congresso.

A reunião para ouvir os dois ex-diretores da estatal será realizada às 14h30, no plenário 2 da ala Nilo Coelho, no Senado.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247