CPI da Petrobras no Senado cancela novamente reunião

Pela quinta vez consecutiva, a CPI do Senado que investiga denúncias contra a Petrobras cancelou reunião agendada para votação de requerimentos; apenas três membros registraram presença e a audiência foi cancelada por falta de quórum; “Lamentavelmente, a CPI do Senado, por falta de quórum regimental mínimo, não anda nos mesmos passos da CPMI do Congresso. Não caminha devido ao [fato de] seu quórum[ter sido] esvaziado pela oposição”, reclamou o presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB)

Pela quinta vez consecutiva, a CPI do Senado que investiga denúncias contra a Petrobras cancelou reunião agendada para votação de requerimentos; apenas três membros registraram presença e a audiência foi cancelada por falta de quórum; “Lamentavelmente, a CPI do Senado, por falta de quórum regimental mínimo, não anda nos mesmos passos da CPMI do Congresso. Não caminha devido ao [fato de] seu quórum[ter sido] esvaziado pela oposição”, reclamou o presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB)
Pela quinta vez consecutiva, a CPI do Senado que investiga denúncias contra a Petrobras cancelou reunião agendada para votação de requerimentos; apenas três membros registraram presença e a audiência foi cancelada por falta de quórum; “Lamentavelmente, a CPI do Senado, por falta de quórum regimental mínimo, não anda nos mesmos passos da CPMI do Congresso. Não caminha devido ao [fato de] seu quórum[ter sido] esvaziado pela oposição”, reclamou o presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB) (Foto: Leonardo Araújo)

Ivan Richard, repórter da Agência Brasil - Pela quinta vez consecutiva, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga denúncias de corrupção na Petrobras cancelou reunião agendada para votação de requerimentos. Marcada para as 9h30, apenas três membros registraram presença e a audiência foi cancelada por falta de quórum.

“Lamentavelmente, a CPI do Senado, por falta de quórum regimental mínimo, não anda nos mesmos passos da CPMI do Congresso. Não caminha devido ao [fato de] seu quórum[ter sido] esvaziado pela oposição”, reclamou o presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB).

Além do peemedebista, registraram presença hoje (19) o relator da comissão, senador José Pimentel (PT-CE), e o senador Anibal Diniz (PT-AC). Na próxima semana está marcada outra reunião para ouvir o coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros, João Antônio de Morais. Como, para realização de oitivas, não há necessidade de quórum mínimo, Vital do Rêgo disse que fará a audiência mesmo que estejam presentem apenas ele e o relator.

Entre os requerimento que deixaram de ser votados hoje está o de convocação de Meire Poza, ex-contadora das empresas do doleiro Alberto Youssef, o de pedidos para que as empreiteiras citadas na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, prestem esclarecimentos sobre as denúncias de corrução na Petrobras e o que requer ao Tribunal de Contas da União (TCU) cópia de auditorias, tomada de contas e outros processos relacionados à compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).

Mesmo sem funcionar na prática desde agosto, no último dia 7, governistas conseguiram prorrogar os trabalhos da comissão por mais um mês. A comissão deveria ter seu relatório final votado no fim deste mês, mas isso só ocorrerá no dia 22 de dezembro.

A CPI da Petrobras do Senado é realizada paralelamente à Comissão Parlamentar Mista da Petrobras, que investiga as mesmas denúncias, mas é composta por deputados e senadores conjuntamente. No entanto, enquanto os membros da comissão mista se reuniram ao longo de todo o recesso branco para ouvir depoentes e votar requerimentos, a CPI do Senado ficou parada desde julho e ainda não retomou os trabalhos depois da eleição.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247