CPI das Fake News tem bate-boca entre Randolfe e Feliciano

A briga teve início por conta de um áudio que o pastor enviou para o presidente do PSL no Amapá Pastor Guaracy Júnior. Na mensagem, Marco Feliciano pede ajuda para que internautas vistem os perfis de Randolfe no Facebook e Twitter para “espancar ele”

247 - O senador Randolfe rodrigues (Rede-AP) e o deputado Marco Feliciano (Podemos-SP) trocaram acusações nesta terça-feira, 5, durante a CPI das Fake News. 

A briga teve início por conta de um áudio que o pastor enviou para o presidente do PSL no Amapá Pastor Guaracy Júnior. Na mensagem, Feliciano pede ajuda para que internautas vistem os perfis de Randolfe no Facebook e Twitter para “espancar ele” (leia mais no Brasil 247).

“Ele quer instrumentalizar essa comissão, instrumentalizar os colegas e usar de vingança. Ele disse que denunciaria o presidente da República por obstrução de justiça e eu disse que o crime não existia. “No áudio, eu falo espancamento, que eu quero que peguem pesado. Mas não paguei. Não contratei robôs”, argumentou. 

Randolfe mostrou o áudio na comissão. Depois, rebateu o parlamentar. “‘Esse senadorzinho precisa de um trato’? Presidente, espancar, não pode ser uma linguagem, primeiro, cristã. O cristo que eu conheci ensinou a dar a outra face. Foi espancado, torturado. Ensinou a linguagem do amor, da paz. Não é linguagem cristã. É isso que essa CPMI está discutindo, a linguagem do ódio, que não pode ser uma linguagem da política”, disparou.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247