Cristovam é chamado de traidor em shopping

Senador brasiliense Cristovam Buarque (PPS), com atuação dúbia no Senado em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), envolveu-se em bate-boca na manhã deste domingo (1º) quando comprava um livro; uma pessoa se aproximou e o chamou de traidor; o senador pediu que ele falasse mais alto e, diante da repetição do xingamento, respondeu em tom mais elevado: “Sou traidor para você. Mas não estou comprando o livro com cartão da Petrobras; assista ao vídeo do entrevero

Senador brasiliense Cristovam Buarque (PPS), com atuação dúbia no Senado em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), envolveu-se em bate-boca na manhã deste domingo (1º) quando comprava um livro; uma pessoa se aproximou e o chamou de traidor; o senador pediu que ele falasse mais alto e, diante da repetição do xingamento, respondeu em tom mais elevado: “Sou traidor para você. Mas não estou comprando o livro com cartão da Petrobras; assista ao vídeo do entrevero
Senador brasiliense Cristovam Buarque (PPS), com atuação dúbia no Senado em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), envolveu-se em bate-boca na manhã deste domingo (1º) quando comprava um livro; uma pessoa se aproximou e o chamou de traidor; o senador pediu que ele falasse mais alto e, diante da repetição do xingamento, respondeu em tom mais elevado: “Sou traidor para você. Mas não estou comprando o livro com cartão da Petrobras; assista ao vídeo do entrevero (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador brasiliense Cristovam Buarque (PPS), que tem tido uma atuação dúbia no Senado em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), envolveu-se em bate-boca num shopping do Distrito Federal na manhã deste domingo (1º), informa o site Os divergentes.

Segundo jornalista Tales Faria, Cristovam comprava um livro quando um senhor se aproximou e o chamou de traidor. O senador pediu que ele falasse mais alto e, diante da repetição do xingamento, respondeu em tom mais elevado:  “Sou traidor para você. Mas não estou comprando o livro com cartão da Petrobras. É com meu próprio dinheiro. Não sou corrupto como estes a quem você diz que estou traindo.”

Abaixo, vídeo do ocorrido:

Após o entrevero, o senador foi ao Facebook e disse que não será intimidado. Disse ainda que “não é por causa desta grosseria que decidirei meu voto. Votarei o que me parecer melhor para o Brasil.”

Veja o post:

“Não sei os nomes dos que me aplaudiram e gritaram meu nome, por isso agradeço a todos por esta mensagem. Especialmente os muitos que ficaram fazendo fotos comigo.

Aviso que não vão me intimidar, eu estava apenas com minha esposa e continuarei assim. Alerto também que este comportamento termina empurrando os indecisos para votarem pelo impeachment. Afinal, se com o risco de perderem o poder se comportam assim, imagine se de fato perderem.

De qualquer forma, não é por causa desta grosseria que decidirei meu voto. Votarei o que me parecer melhor para o Brasil, como tenho feito desde que estou na política, sem mudar de propostas e de comportamento. E mudando de siglas se for preciso para manter minha coerência, do mesmo lado das transformações sociais e da ética na política.”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247