Cunha acusa Funaro de roubar sua delação

Peça central na deflagração do golpe parlamentar de 2016, o ex-deputado Eduardo Cunha, que cumpre pena de 15 anos de prisão por corrupção, acusou o ex-companheiro de crime Lúcio Funaro de roubar trechos de sua delação premiada; ex-deputado disse a aliados que trechos de sua proposta de colaboração –rejeitada pela PGR– foram enxertados no acordo do doleiro. Cunha garantiu a esses interlocutores que pode provar que Funaro narrou fatos aos quais não tinha acesso suficiente para conhecer em detalhes; informação da coluna Painel

Peça central na deflagração do golpe parlamentar de 2016, o ex-deputado Eduardo Cunha, que cumpre pena de 15 anos de prisão por corrupção, acusou o ex-companheiro de crime Lúcio Funaro de roubar trechos de sua delação premiada; ex-deputado disse a aliados que trechos de sua proposta de colaboração –rejeitada pela PGR– foram enxertados no acordo do doleiro. Cunha garantiu a esses interlocutores que pode provar que Funaro narrou fatos aos quais não tinha acesso suficiente para conhecer em detalhes; informação da coluna Painel
Peça central na deflagração do golpe parlamentar de 2016, o ex-deputado Eduardo Cunha, que cumpre pena de 15 anos de prisão por corrupção, acusou o ex-companheiro de crime Lúcio Funaro de roubar trechos de sua delação premiada; ex-deputado disse a aliados que trechos de sua proposta de colaboração –rejeitada pela PGR– foram enxertados no acordo do doleiro. Cunha garantiu a esses interlocutores que pode provar que Funaro narrou fatos aos quais não tinha acesso suficiente para conhecer em detalhes; informação da coluna Painel (Foto: Aquiles Lins)

247 - Peça central na deflagração do golpe parlamentar de 2016, o ex-deputado Eduardo Cunha, que cumpre pena de 15 anos de prisão por corrupção, acusou o ex-companheiro de crime Lúcio Funaro de roubar trechos de sua delação premiada. 

Informação foi divulgada pela coluna Painel, da Folha. Leia:

"Devolva-me Eduardo Cunha (PMDB-RJ) vai à Justiça tentar anular a delação de Lúcio Funaro, seu antigo operador. O ex-deputado disse a aliados que trechos de sua proposta de colaboração –rejeitada pela PGR– foram enxertados no acordo do doleiro. Cunha garantiu a esses interlocutores que pode provar que Funaro narrou fatos aos quais não tinha acesso suficiente para conhecer em detalhes. A narrativa que Cunha quer pôr em xeque é peça-chave da nova denúncia contra Michel Temer.

Ao trabalho O ex-deputado já começou a reunir o material que vai dar base ao seu questionamento à colaboração de Funaro. Procurada, a defesa do corretor disse que não comentaria assunto relacionado ao acordo e que só se manifestaria em juízo."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247