Cunha adia instalação da comissão do impeachment

Instalação, que estava marcada para as 18h desta segunda-feira, foi adiada para o início da tarde desta terça-feira depois que a oposição e uma ala do PMDB criaram uma chapa independente, contrária às indicações feitas pelo líder do PMDB Leonardo Picciani (RJ); o adiamento faz também com que a sessão ocorra perto do horário previsto para a sessão do Conselho de Ética, que deverá tentar pela terceira vez votar o relatório pela admissibilidade do processo de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, durante sessão plenária em Brasília. 24/11/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, durante sessão plenária em Brasília. 24/11/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), vai adiar a instalação da comissão especial que discutirá o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O ato, que ocorreria nesta segunda-feira, foi adiado para esta terça-feira 8.

Caso o adiamento seja formalizado e a instalação da comissão acontece no início da tarde de amanhã, atrapalhará a sessão da Comissão de Ética, que tentará, pela terceira vez, votar o relatório que pede a cassação do mandato de Cunha. Seria mais um protelamento por parte de seus aliados.

O motivo principal do adiamento, no entanto, foi o fato de a oposição e um ala do PMDB decidirem lançar uma chapa independente, contrária à presidente Dilma Rousseff, em resposta às indicações feitas pelo líder do PMDB na Casa, Leonardo Picciani (RJ), que escolheu parlamentares majoritariamente contrários ao impeachment.

Bastante irritado com a decisão, o líder do PT, Sibá Machado (AC), deixou a reunião de líderes afirmando que o gesto "contamina o processo". "Isso arrebenta qualquer relação, não é razoável dentro do campo democrático. Ele está mudando os prazos e permitindo a formação de chapa alternativa, isso pode fomentar a briga interna nas bancadas. Discordo disso é não vou assistir e assinar isso", disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247