Cunha ameaça colegas com delação premiada

Após a renúncia, interlocutores de Eduardo Cunha voltaram a bater na tecla da delação premiada; dizem que a possibilidade não é descartada pelo peemedebista, que agora tenta emplacar um aliado na presidência da Câmara; segundo a coluna de Andreza Matais, peemedebistas não querem um nome “hostil” a Cunha no comando da Casa; se não houver consenso em torno de Rogério Rosso (DF), podem lançar Osmar Terra, Sérgio Souza ou Carlos Marun

Brasília- DF 26-04-2016 Presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha durante sessão da câmara. Lula Marques/Agência PT
Brasília- DF 26-04-2016 Presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha durante sessão da câmara. Lula Marques/Agência PT (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após a renúncia, interlocutores de Eduardo Cunha voltaram a bater na tecla da delação premiada. Dizem que a possibilidade não é descartada pelo peemedebista, que agora tenta emplacar um aliado na presidência da Câmara, segundo a coluna de Andreza Matais.

Em nota, ela diz que peemedebistas não querem um nome “hostil” a Cunha no comando da Casa; se não houver consenso em torno de Rogério Rosso (DF), podem lançar Osmar Terra, Sérgio Souza ou Carlos Marun.

Rosso sofrerá os maiores ataques. Será cada vez mais relacionado como candidato de Cunha, escolhido por ele para manobrar a seu favor no processo de cassação: “Rosso sai com uma base de votos, mas vai realizar uma campanha contaminada”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247