Cunha cria comissão para verificar estado de Cid

Ministro da Educação, Cid Gomes, apresentou atestado de saúde e não atendeu à convocação para explicar as declarações de que há, no Congresso, “300 ou 400 achacadores” que se aproveitam da fragilidade do governo para levar vantagens; “A comissão vai verificar se ele [Cid Gomes] ficou doente, até porque a ausência de um ministro de Estado, convocado em uma data determinada, importa em crime de responsabilidade”, disse o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ); “Agora, ele deve explicações a esta Casa. Esta Casa não está satisfeita com esse comportamento agressivo e arrogante do ministro Cid Gomes”, concluiu

Ministro da Educação, Cid Gomes, apresentou atestado de saúde e não atendeu à convocação para explicar as declarações de que há, no Congresso, “300 ou 400 achacadores” que se aproveitam da fragilidade do governo para levar vantagens; “A comissão vai verificar se ele [Cid Gomes] ficou doente, até porque a ausência de um ministro de Estado, convocado em uma data determinada, importa em crime de responsabilidade”, disse o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ); “Agora, ele deve explicações a esta Casa. Esta Casa não está satisfeita com esse comportamento agressivo e arrogante do ministro Cid Gomes”, concluiu
Ministro da Educação, Cid Gomes, apresentou atestado de saúde e não atendeu à convocação para explicar as declarações de que há, no Congresso, “300 ou 400 achacadores” que se aproveitam da fragilidade do governo para levar vantagens; “A comissão vai verificar se ele [Cid Gomes] ficou doente, até porque a ausência de um ministro de Estado, convocado em uma data determinada, importa em crime de responsabilidade”, disse o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ); “Agora, ele deve explicações a esta Casa. Esta Casa não está satisfeita com esse comportamento agressivo e arrogante do ministro Cid Gomes”, concluiu (Foto: Roberta Namour)

Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil - O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou na noite de ontem (11) a criação de uma comissão externa para verificar in locu o estado de saúde do ministro da Educação, Cid Gomes, que foi convocado para comparecer nesta quarta-feira à Câmara.

O ministro apresentou atestado de saúde e não atendeu à convocação para explicar as declarações de que há, no Congresso, “300 ou 400 achacadores” que se aproveitam da fragilidade do governo para levar vantagens. As declarações do ministro foram feitas no dia 27 de fevereiro, na Universidade Federal do Pará, durante reunião com professores e reitores de universidades federais.

Cunha informou que a comissão será formada por três deputados médicos, que devem ir ao hospital onde o ministro está internado para verificar a real situação do caso. “A comissão vai verificar se ele [Cid Gomes] ficou doente, até porque a ausência de um ministro de Estado, convocado em uma data determinada, importa em crime de responsabilidade”.

O presidente da Câmara disse que a comissão pode até servir para isentar o ministro da culpa de um crime de responsabilidade. “Nós vamos fazer a verificação”, disse. De acordo com Cunha, o ministro deve explicações à Casa. “Agora, ele deve explicações a esta Casa. Esta Casa não está satisfeita com esse comportamento agressivo e arrogante do ministro Cid Gomes”.

Mais cedo, o ministro interino da Educação, Luiz Cláudio Costa, encaminhou ofício ao presidente da Câmara comunicando que o ministro Cid Gomes não poderia cumprir à convocação porque foi “acometido” de uma doença que provocou sua internação, ontem (10), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, “sem definição a respeito da respectiva alta médica”. No ofício, o ministro interino solicitou o agendamento de uma outa data para que Cid Gomes possa prestar os esclarecimentos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247