Cunha sobre delator: se cometeu irregularidades, que responda por elas

Presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rebateu as acusações feitas pelo delator Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa, que acusa o parlamentar de receber propinas de grupos empresariais que obtiveram aportes milionários do FI-FGTS; “Se ele cometeu irregularidades, que responda por elas. Desafio qualquer um a provar a veracidade dessas delações como também qualquer vinculação, de qualquer natureza, com as contas mencionadas por esses delatores”

Presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rebateu as acusações feitas pelo delator Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa, que acusa o parlamentar de receber propinas de grupos empresariais que obtiveram aportes milionários do FI-FGTS; “Se ele cometeu irregularidades, que responda por elas. Desafio qualquer um a provar a veracidade dessas delações como também qualquer vinculação, de qualquer natureza, com as contas mencionadas por esses delatores”
Presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rebateu as acusações feitas pelo delator Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa, que acusa o parlamentar de receber propinas de grupos empresariais que obtiveram aportes milionários do FI-FGTS; “Se ele cometeu irregularidades, que responda por elas. Desafio qualquer um a provar a veracidade dessas delações como também qualquer vinculação, de qualquer natureza, com as contas mencionadas por esses delatores” (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rebateu as acusações feitas pelo delator Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal, que acusa o parlamentar de receber propinas de grupos empresariais que obtiveram aportes milionários do FI-FGTS.

“Reitero que o cidadão delator foi indicado para cargo na Caixa, pela bancada do PMDB/RJ, com meu apoio, sem que isso signifique concordar com qualquer prática irregular. Desminto, como aliás já desmenti, qualquer recebimento de vantagem indevida", disse Cunha.

"Se ele cometeu irregularidades, que responda por elas. Desafio qualquer um a provar a veracidade dessas delações como também qualquer vinculação, de qualquer natureza, com as contas mencionadas por esses delatores”, completou o deputado afastado.

Nesta manhã, a Polícia Federal prendeu o empresário Lúcio Bolonha Funaro, braço direito de Cunha, com base na delação de Cleto.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247