De joelhos para Trump, Araújo pede para levar diplomatas de Guaidó à ONU na comitiva brasileira

Numa das maiores demonstrações de subserviência da história da diplomacia internacional, Ernesto Araújo pediu à ONU para integrar na comitiva brasileira diplomatas de Juan Guaidó, político escolhido pelos Estados Unidos para formar um governo paralelo na Venezuela

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

247 – O chanceler brasileiro Ernesto Araújo não se cansa de demonstrar sua submissão aos interesses geopolíticos de Donald Trump. Desta vez, porém, ele se excedeu. "O Ministério das Relações Exteriores do Brasil solicitou à Organização das Nações Unidas (ONU) o credenciamento de representantes do líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó, como integrantes da comitiva brasileira que participará da Assembleia Geral em Nova York", informa reportagem do jornal Estado de S. Paulo.

A informação foi revelada pelo jornal Folha de S. Paulo e confirmada pelo Itamaraty ao Estado. “O Itamaraty confirma o pedido de credenciamento de representantes do governo legítimo venezuelano. Essa medida excepcional foi tomada como forma de assegurar a devida representação na ONU, que aceita apenas nomes indicados pelo regime ditatorial de Caracas”, informou em nota o Itamaraty.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247