Deputado bizarro que tatuou Temer teve recorde de emendas parlamentares

O deputado federal Wladimir Costa, aquele que tatuou o nome de Michel Temer no ombro direito, teve mais emendas parlamentares executadas em sete meses de 2017 do que em anos anteriores de seu mandato

O deputado federal Wladimir Costa, aquele que tatuou o nome de Michel Temer no ombro direito, teve mais emendas parlamentares executadas em sete meses de 2017 do que em anos anteriores de seu mandato
O deputado federal Wladimir Costa, aquele que tatuou o nome de Michel Temer no ombro direito, teve mais emendas parlamentares executadas em sete meses de 2017 do que em anos anteriores de seu mandato (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Wladimir Costa, o deputado que tatuou o nome de Michel Temer no ombro direito, teve mais emendas parlamentares executadas em sete meses de 2017 do que em anos anteriores.

De janeiro a 25 de julho de 2017, foram executados R$ 300 mil em emendas para Costa ante R$ 159,6 mil ao longo de 2016 e apenas R$ 19,9 mil em todo o ano de 2015. Os dados são do Siga Brasil, do governo federal.

As informações são da Coluna do Estadão.

Questionado sobre a homenagem na pele, Costa afirmou:

"Cada um com suas paixões. Não tem gente que tatua Che Guevara, Fidel Castro, o presidente da Coreia? Todos falsos socialistas usando (relógio da marca) Rolex?", disse o deputado ao Estado. "Sou admirador nato (de Temer), sou amigo dele há quase 16 anos. Nesse momento, que tentam derrubar ele a qualquer custo, é minha forma de mostrar que parceiro que é parceiro derrama até a última gota de sangue".

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247