Deputado Márcio Jerry sobre a Lava Jato: conluio político alimentado por muito ódio

“O pior e mais fiel retrato do que se tornou a Lava Jato foi revelado hoje. Um conluio político alimentado por muito ódio, desrespeito, boçalidade, falta de humanidade. Dá nojo e faz pensar sobre os procuradores: que tipo de gente é essa?”, questionou o vice-líder do PCdoB; outros parlamentares também repercutiram o novo capítulo da Vaza Jato

(Foto: Agência Câmara)

247 - No dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar um novo pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caíram como bomba sobre o Congresso as revelações divulgadas nesta terça-feira (27) pelo UOL de que integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba ironizaram o luto do ex-presidente.

“O pior e mais fiel retrato do que se tornou a Lava Jato foi revelado hoje. Um conluio político alimentado por muito ódio, desrespeito, boçalidade, falta de humanidade. Dá nojo e faz pensar sobre os procuradores: que tipo de gente é essa?”, questionou o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA).  

Erika Kokay (PT-DF) também demonstrou indignação com o conteúdo revelado.  “Revoltante e Desumano! Procuradores ironizaram o sofrimento de Lula na morte de Marisa Letícia ,do irmão e do neto. De todas as mensagens da Vaza Jato a mais reveladora do caráter dos procuradores foi a de hoje no Uol. Pessoas desprovidas de sentimento e respeito pelo próximo”, comentou.   

Lembrando a função pública ocupada pelos envolvidos, Paulo Pimenta (PT-RS) chamou a atenção para a gravidade das denúncias. “As pessoas que fizeram piada com a dona Marisa Letícia são PROCURADORES DA REPÚBLICA! São funcionários públicos pagos com o mais alto salário e a melhor estrutura do Estado para aperfeiçoar a sociedade. Falharam feio como servidores. Falharam miseravelmente como humanidade”, disse.   

O ex-deputado pelo PSOL Jean Willys também prestou solidariedade a Lula e disse que espera  justiça para os envolvidos. “Quanto ódio e inveja essa gente tem. Que gente sórdida! Espero não só pela liberdade de Lula, mas que o universo devolva, a cada um deles, neles ou nos seus, esse horror que perpetraram. E que se lembrem do que fizeram quando estiverem pagando por isso!”.   

Talíria Petrone (PSOL-RJ) questionou o nível de empatia e ética dos membros do MPF. “Qual o nível da falta de ética e da canalhice de ironizar a dor de um viúvo? É a desumanização total de uma pessoa, que independente de sua posição política e da acusação que lhe foi feita, acabou de perder alguém querido. Tempos difíceis...”.  

Já Rogério Correia (PT-MG) afirmou que esta é a a chance para que o Supremo Tribunal Federal cumpra seu papel. “Lendo mais esta revelação da Vaza Jato tive vontade de vomitar: STF tem de libertar Lula imediatamente das mãos destes monstros”, comentou.   

Entre outras revelações, os chats verificados pelo UOL, em parceria com o Intercept, apontam que na véspera da morte encefálica da ex-primeira-dama, Marisa Letícia, em fevereiro de 2017, a procuradora da República Laura Tessler, sugeriu que Lula faria uso político da perda da mulher. 

Comentários semelhantes, diminuindo a perda do ex-presidente, também ocorreram em 29 de janeiro de 2019, quando o irmão de Lula, Vavá, morreu em decorrência de um câncer, e, a partir de 1º março, quando foi confirmada a morte do neto Arthur, de apenas 7 anos.   

Marcado para esta terça, o julgamento do pedido da defesa de Lula será conduzido pelo ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava Jato no Supremo, e será feito pela 2ª Turma. Ele deverá avaliar a liberação do acordo firmado entre a Odebrecht e o Ministério Público Federal.

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247