Deputados criticam ausência de Dallagnol em comissão

O procurador da República Deltan Dallagnol foi convidado para responder a questionamentos na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (10), mas não compareceu ao debate. Deputados criticaram sua ausência

(Foto: ABr)

247 - O procurador da República Deltan Dallagol, chefe da Força-Tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, foi convidado para responder a questionamentos na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (10), mas não compareceu ao debate e acabou sendo criticado por deputados federais.

Para Márcio Jerry, vice-líder do PCdoB na Câmara, Deltan fugiu da audiência para não encarar as acusações que pesam sobre ele. “O Dallagnol fugiu de novo. Quem deve, teme! Ele deve explicações ao Ministério Público, ao Congresso e ao povo brasileiro, já que cometeu graves irregularidades. Isso não pode ficar impune”, criticou o parlamentar do Maranhão.

O deputado Henrique Fontana (PT-RS), questionou o motivo pelo qual o procurador evita responder as denúncias apresentadas por dezenas de jornais, como The Intercept Brasil e Folha de S.Paulo, na série de reportagens que ficou conhecida como Vaza Jato. “Deltan foi convidado mas decidiu não comparecer para falar sobre as mensagens da Vaza Jato que escancararam a sua conduta partidarizada à frente da força-tarefa da Lava Jato.

 O que tem a esconder?”, interrogou o petista.Leonardo Monteiro (PT-MG), também questionou o que Dallagnol está escondendo. “Ele foge de explicar o jogo de cartas marcadas que se tornou a Lava Jato. Segue o estilo fujão de Bolsonaro e prefere ficar nas sombras das redes sociais e Telegram para pautar o caos no Brasil”, comento deputado de Minas Gerais.

O telegrama também foi lembrado pelo ambientalista Nilto Tatto (PT-SP). “Sem Telegram e PowerPoint, parece que o inventivo procurador perde seus poderes de interpretar a realidade a seu favor. Chamado para prestar esclarecimentos deu um perdido e deve estar escondido agora debaixo da cama. Quem não deve não treme”, ironizou.Já a líder da Minoria na Câmara, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) foi mais sucinta ao se referir à ausência de Deltan Dallagnol. 

“Parece que alguém está fugindo da verdade”.Já o PSOL emitiu nota sobre a ausência de Deltan Dallagol e lembrou que o jornalista Leandro Demori, um dos repórteres que assina diversas matérias da Vaza Jato, aceitou o convite e está na Câmara. “Não podemos dizer o mesmo de Dallagnol. Qual será o medo?”, conclui o texto do partido.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247