DF registra 46 suspeitas de dengue nas duas primeiras semanas de 2018

Brasília teve 46 suspeitas de dengue registradas até 13 de janeiro, sendo 41 de moradores locais e cinco residentes em Goiás; no mesmo período, em 2017, foram 103 casos, uma queda de 55,34%

Mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão dos vírus da dengue, febre chikungunya e Zika
Mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão dos vírus da dengue, febre chikungunya e Zika (Foto: Charles Nisz)

Agência Brasília - Brasília teve 46 suspeitas de dengue registradas até 13 de janeiro, último dia da segunda semana epidemiológica de 2018. São 41 moradores locais e cinco residentes em Goiás. No mesmo período, em 2017, foram 103 casos prováveis. O comparativo mostra queda de 55,34%.

As ocorrências ficaram distribuídas por Águas Claras (1), Ceilândia (1), Gama (2), Guará (1), Itapoã (3), Lago Norte (1), Lago Sul (1), Paranoá (6), Planaltina (9), Riacho Fundo I (1), Riacho Fundo II (1), Samambaia (2), Santa Maria (1), São Sebastião (2), Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (2), Sobradinho (1) e Taguatinga (6).

Assim como em 2017, não houve registro de morte por dengue na cidade nas duas primeiras semanas do ano.

A febre chikungunya e o zika vírus, doenças transmitidas pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, tiveram um e dois casos registrados, respectivamente. A chikungunya foi no Riacho Fundo II, assim como um dos casos de zika – o outro ocorreu no Paranoá.

Os dados são do Informativo Epidemiológico nº 3 de 2018, divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (17).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247