Dilma não irá depor na comissão do impeachment

A presidente eleita Dilma Rousseff decidiu não depor pessoalmente à comissão do impeachment no Senado na próxima quarta (6); seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, deve falar no lugar dela; Dilma não era obrigada a comparecer no depoimento; aliados avaliam que, caso seja para ir pessoalmente ao Senado, que o faça no plenário, não na comissão especial

A presidente eleita Dilma Rousseff decidiu não depor pessoalmente à comissão do impeachment no Senado na próxima quarta (6); seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, deve falar no lugar dela; Dilma não era obrigada a comparecer no depoimento; aliados avaliam que, caso seja para ir pessoalmente ao Senado, que o faça no plenário, não na comissão especial
A presidente eleita Dilma Rousseff decidiu não depor pessoalmente à comissão do impeachment no Senado na próxima quarta (6); seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, deve falar no lugar dela; Dilma não era obrigada a comparecer no depoimento; aliados avaliam que, caso seja para ir pessoalmente ao Senado, que o faça no plenário, não na comissão especial (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente eleita Dilma Rousseff decidiu não depor pessoalmente à comissão do impeachment no Senado na próxima quarta-feira (6). Seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, deve falar no lugar da petista.

Dilma não era obrigada a comparecer no depoimento. Aliados avaliam que, caso seja para ir pessoalmente ao Senado, que o faça no plenário, não na comissão especial.

No colegiado, a presidente afastada poderia ser diretamente questionada por senadores e por uma das autoras do pedido de impeachment, a advogada Janaína Paschoal.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247