Empresário da Yacows cita disparos em massa para Bolsonaro, Haddad e Meirelles

Em depoimento à CPMI das Fake News, Lindolfo Antônio Alves confirmou que prestou serviços para a agência AM4, que trabalhou na campanha de Jair Bolsonaro. Segundo ele, o serviço contratado foi para envios de 20 mil mensagens de whatsapp, mas que só 900 foram utilizadas

(Foto: Roque de Sက)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O empresário Lindolfo Antônio Alves, sócio da agência Yacows, afirmou nesta quarta-feira, 19, em depoimento à CPMI das Fake News, que fez disparos em massa para as campanhas de 2018 Jair Bolsonaro, Fernando Haddad e Henrique Meirelles. 

O empresário confirmou que prestou serviços para a agência AM4, que trabalhou na campanha de Bolsonaro. Segundo ele, o serviço contratado foi para envios de 20 mil mensagens de whatsapp, mas que só 900 foram utilizadas. 

Em uma lista com 37 nomes que entregou à comissão, ele também citou a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), o deputado Rui Falcão (PT-SP) e o senador Antonio Anastasia (PSD-MG).

Outro lado

A assessoria de Haddad confirmou apenas que houve um contrato de plano de comunicação que incluía mensagem de WhatsApp. "Até onde sabemos, custou RS 80 mil e a contratação foi feita por uma empresa terceirizada, que já usava a plataforma", acrescentou.

O deputado Rui Falcão disse que se utilizou de serviços legais durante a campanha eleitoral.

Em nota, a deputada Tabata Amaral negou a contratação irregular de "robôs" para disparo em massa de mensagens. A parlamentar disse que membros da sua equipe utilizaram a ferramenta para ajudar no envio de mensagens da então candidata para contatos de sua lista pessoal. O custo teria sido de R$ 1.680, declarados em sua prestação de contas.

A parlamentar também disse que a sua campanha não contratou a Yacows, e sim da empresa Maut, as duas pertencem ao mesmo grupo econômico. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247