Fachin remete ao DF investigações sobre Agnelo e Arruda

O ministro do STF Edson Fachin encaminhou à Justiça Federal do Distrito Federal as citações feitas por delatores da Odebrecht e referentes às obras do estádio Mané Garrincha, do novo Centro Administrativo, em Taguatinga, e do condomínio Jardins Mangueiral; duas das petições citam o ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM); em uma delas, o nome é acompanhado do ex-secretário de Obras do mesmo governo, Márcio Machado (PSDB); em outro petição é citado o ex-governador Agnelo Queiroz (PT)

O ministro do STF Edson Fachin encaminhou à Justiça Federal do Distrito Federal as citações feitas por delatores da Odebrecht e referentes às obras do estádio Mané Garrincha, do novo Centro Administrativo, em Taguatinga, e do condomínio Jardins Mangueiral; duas das petições citam o ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM); em uma delas, o nome é acompanhado do ex-secretário de Obras do mesmo governo, Márcio Machado (PSDB); em outro petição é citado o ex-governador Agnelo Queiroz (PT)
O ministro do STF Edson Fachin encaminhou à Justiça Federal do Distrito Federal as citações feitas por delatores da Odebrecht e referentes às obras do estádio Mané Garrincha, do novo Centro Administrativo, em Taguatinga, e do condomínio Jardins Mangueiral; duas das petições citam o ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM); em uma delas, o nome é acompanhado do ex-secretário de Obras do mesmo governo, Márcio Machado (PSDB); em outro petição é citado o ex-governador Agnelo Queiroz (PT) (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator da operação Lava Jato na Corte, encaminhou à Justiça Federal do Distrito Federal as citações feitas por delatores da Odebrecht e referentes às obras do estádio Mané Garrincha, do novo Centro Administrativo, em Taguatinga, e do condomínio Jardins Mangueiral. Duas das petições citam o ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM) - ele teve o mandato cassado em 2010 pelo Tribunal Regional Eleitoral. Em uma delas, o nome é acompanhado do ex-secretário de Obras do mesmo governo, Márcio Machado (PSDB). Em outro petição é citado o ex-governador Agnelo Queiroz (PT).

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região, no DF, deve decidir se abre ou não inquérito com o objetivo de apurar as supostas irregularidades apontadas nas delações. Não há prazo para que a decisão seja tomada.

Fachin abriu 83 inquéritos contra 108 pessoas no âmbito da investigação do esquema de propina na Petrobras. A informação foi divulgada pelo blog do Fausto Macedo. Na lista há nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais. Os senadores Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB, e Romero Jucá (RR), presidente do PMDB, são os políticos com o maior número de inquéritos a serem abertos: cinco cada. Os pedidos de abertura de inquérito têm como base as delações de 78 executivos da Odebrecht.

O governo Temer é atingido em cheio. São alvos dos pedidos de investigação os ministros Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Roberto Freire (PPS), da Cultura, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Padilha e Kassab responderão em duas investigações, cada.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247