Folha diz que Fux começou mal no STF, fazendo "populismo judicial"

O novo presidente do STF restringiu a aplicação de uma recomendação aprovada pelo CNJ em março deste ano para conter os efeitos da pandemia do coronavírus no sistema prisional e proteger os presos mais vulneráveis

Sessão solene de posse do ministro Luiz Fux na Presidência do STF (10/09/2020)
Sessão solene de posse do ministro Luiz Fux na Presidência do STF (10/09/2020) (Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Luiz Fux estreou mal no comando do Supremo Tribunal Federal, segundo avalia a Folha de S. Paulo, em editorial. "Grandes poderes devem ser exercidos com parcimônia, mas não foi esse o caso do primeiro ato do ministro Luiz Fux, novo presidente do Supremo Tribunal Federal, à frente do Conselho Nacional de Justiça", diz o texto.

"Na última terça (15), o ministro decidiu restringir a aplicação de uma recomendação aprovada pelo CNJ em março deste ano para conter os efeitos da pandemia do coronavírus no sistema prisional e proteger os presos mais vulneráveis. Numa medida de sentido populista, Fux excluiu acusados de corrupção e outros crimes de colarinho branco dos benefícios da orientação do CNJ, que recomenda a soltura dos que fizerem parte de grupos de risco e estiverem presos por crimes não violentos", reforça o editorialista.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247