Governadores aprovam proposta de mercado comum no Brasil Central

Governadores do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central aprovaram a proposta de um mercado comum para as unidades da Federação que compõem o grupo: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins. A ideia é oferecer alíquotas vantajosas para produtos de interesse de cada local e promover mais emprego e renda; o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, reforçou que a medida será importante diante do potencial da região; "Todos compram muito e compram fora"; de acordo com o presidente do consórcio e governador de Goiás, Marconi Perillo, foi estabelecido prazo de seis meses para que, com a ajuda de consultoria especializada, sejam identificadas as necessidades e definido o modelo

Governadores do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central aprovaram a proposta de um mercado comum para as unidades da Federação que compõem o grupo: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins. A ideia é oferecer alíquotas vantajosas para produtos de interesse de cada local e promover mais emprego e renda; o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, reforçou que a medida será importante diante do potencial da região; "Todos compram muito e compram fora"; de acordo com o presidente do consórcio e governador de Goiás, Marconi Perillo, foi estabelecido prazo de seis meses para que, com a ajuda de consultoria especializada, sejam identificadas as necessidades e definido o modelo
Governadores do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central aprovaram a proposta de um mercado comum para as unidades da Federação que compõem o grupo: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins. A ideia é oferecer alíquotas vantajosas para produtos de interesse de cada local e promover mais emprego e renda; o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, reforçou que a medida será importante diante do potencial da região; "Todos compram muito e compram fora"; de acordo com o presidente do consórcio e governador de Goiás, Marconi Perillo, foi estabelecido prazo de seis meses para que, com a ajuda de consultoria especializada, sejam identificadas as necessidades e definido o modelo (Foto: Leonardo Lucena)

247, com Agência Brasília - Governadores do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central aprovaram, na manhã desta sexta-feira (7), a proposta de um mercado comum para as unidades da Federação que compõem o grupo: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins. A ideia é oferecer alíquotas vantajosas para produtos de interesse de cada local e promover mais emprego e renda. A decisão foi deliberada em assembleia do quinto Fórum dos Governadores do Brasil Central de 2016, no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho (RO). O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, reforçou que a medida será importante diante do potencial da região.

"Todos compram muito e compram fora”. Para o Distrito Federal, ele destacou ainda que há grande interesse na intenção de compras conjuntas de medicamentos de alto custo, tema debatido na câmara de saúde do fórum e levada à assembleia dos governadores. "Dando escala, vamos conseguir comprar melhor e mais barato", afirmou.

De acordo com o presidente do consórcio e governador de Goiás, Marconi Perillo, serão definidas "alíquotas em comum para que os nossos produtos sejam comercializados dentro do Brasil Central, beneficiando os estados com emprego e circulação de dinheiro". Ele disse que foi estabelecido prazo de seis meses para que, com a ajuda de consultoria especializada, sejam identificadas as necessidades e definido o modelo.

Outros temas debatidos em assembleia pelos governadores foram uma estratégia unificada para aumento de exportações, parcerias na área de educação para melhorar os índices da região, o combate ao mosquito da dengue e um plano integrado de turismo. Também foi dada continuidade à discussão para integrar a segurança pública.

“Vamos definir alíquotas em comum para que os nossos produtos sejam comercializados dentro do Brasil Central, beneficiando os estados com emprego e circulação de dinheiro.”Marconi Perillo, presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central e governador de Goiás

O anfitrião, governador Confúcio Moura, falou sobre os resultados já alcançados com o consórcio. Como exemplo, ele citou o compartilhamento de software entre as unidades da Federação. O próximo encontro do Brasil Central, programado para dezembro, será em Brasília.

Também participam os governadores de Mato Grosso, Pedro Taques; de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; e do Tocantins, Marcelo Miranda; o vice-governador de Rondônia, Daniel Pereira; o senador Valdir Raupp (PMDB-RO); o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Maurão de Carvalho; e secretários e representantes dos estados. Do DF, estão presentes os secretários de Educação, Júlio Gregório Filho; e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos; e os adjuntos da Saúde, Eliane Berg; e do Turismo, Jaime Recena.

Brasil Central aprova criação da câmara de comércio do consórcio

Interligada à ideia de que as unidades da Federação comprem produtos dentro do bloco, foi aprovada a criação de uma câmara de comércio — já existem as de saúde e de educação. Antes de ser levada à deliberação dos governadores, a proposta foi aprovada, na quinta-feira (6), pelo Conselho de Administração do consórcio, integrado pelos secretários de Planejamento, Orçamento e Gestão.

A câmara de comércio deverá articular medidas com o intuito de fortalecer o mercado interno e também as relações comerciais do Brasil Central com o mercado externo.

O que é o Consórcio Brasil Central

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central é uma associação pública de natureza autárquica, com autonomia administrativa e financeira, patrimônio e receitas próprios. Formado pelo Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia, o objetivo é fomentar o desenvolvimento econômico e social das unidades, especialmente nas áreas: agropecuária, logística, industrialização, educação, empreendedorismo e inovação, meio ambiente e turismo.

O Brasil Central nasceu em 3 de julho de 2015 para fomentar o crescimento individual e regional com a cooperação entre as unidades da Federação. A criação ocorreu durante o Fórum de Governadores do Centro-Oeste, em Goiânia (GO), e o DF passou a integrar o grupo oficialmente em 4 de outubro, com a aprovação de projeto de lei na Câmara Legislativa. O termo de compromisso para oficializar o consórcio foi assinado em 10 de novembro, em cerimônia no Memorial JK.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247