Governo aumenta combate à dengue no período chuvoso

Com o início do período chuvoso e a possibilidade do aumento da incidência do mosquito Aedes aegypti no DF, o governo está reforçando visitas domiciliares de agentes da Secretaria de Saúde, que trabalhará com 501 profissionais em todas as regiões administrativas; além disso, nas próximas semanas será lançada uma nova campanha publicitária em que o foco será o envolvimento da população no combate ao mosquito

Com o início do período chuvoso e a possibilidade do aumento da incidência do mosquito Aedes aegypti no DF, o governo está reforçando visitas domiciliares de agentes da Secretaria de Saúde, que trabalhará com 501 profissionais em todas as regiões administrativas; além disso, nas próximas semanas será lançada uma nova campanha publicitária em que o foco será o envolvimento da população no combate ao mosquito
Com o início do período chuvoso e a possibilidade do aumento da incidência do mosquito Aedes aegypti no DF, o governo está reforçando visitas domiciliares de agentes da Secretaria de Saúde, que trabalhará com 501 profissionais em todas as regiões administrativas; além disso, nas próximas semanas será lançada uma nova campanha publicitária em que o foco será o envolvimento da população no combate ao mosquito (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Gabriela Moll/Agência Brasília - Com o início do período chuvoso e a possibilidade do aumento da incidência do mosquito Aedes aegypti no DF, o governo intensifica ações de combate à transmissão da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus.
De acordo com o diretor de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde, Denilson Magalhães, a pasta trabalhará com 501 agentes em todas as regiões administrativas.

As visitas domiciliares ocorrem durante todo o ano, mas são flexibilizadas no período da seca. Trinta bombeiros militares também integram a equipe. Além disso, nas próximas semanas será lançada uma nova campanha publicitária em que o foco será o envolvimento da população no combate ao mosquito. "Como os criadouros são em sua maioria dentro dos domicílios, convidamos a sociedade a participar mais para acabar com esses focos. Essa é a melhor maneira de evitarmos a transmissão", acredita.

A Secretaria de Saúde também se prepara com 36 veículos equipados com o aparelhos UBV, conhecidos como fumacê. Esses são usados em regiões onde há confirmação de casos, para quebrar a cadeia de transmissão. Com o avanço das medidas em 2016, o diretor reforça que neste ano a situação está mais favorável ao combate porque os índices das doenças foram reduzidos em 79%, no caso da dengue; 89%, da febre chikungunya; e em 79%, do zika vírus.

Os números de manifestação predial do transmissor do vírus no DF estão em 0,13% — abaixo do índice recomendado pelo Ministério da Saúde, que é de 1%. A Saúde também retomará o trabalho integrado com a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) e a Secretaria de Educação, por meio dos programas Mensageiros da Água e Escola sem Mosquito, que têm como objetivo conscientizar multiplicadores em 250 escolas da rede pública.

Outra ação integrada é o programa Cidades Limpas, que neste mês ocorreu no Park Way, no Núcleo Bandeirante e na Candangolândia.
A pasta também articula uma agenda com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) para 14 de novembro. Será uma reunião para capacitar os chefes dos núcleos de agentes comunitários sobre a destinação do lixo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247