Governo Bolsonaro mantém contrato de R$ 1,9 bi para compra da vacina inglesa que apresentou problemas

O governo federal destinou 1,9 bilhão de reais para o projeto envolvendo a vacina da AstraZeneca, que é desenvolvida em parceria com pesquisadores da Universidade de Oxford

Bolsonaro e vacina
Bolsonaro e vacina (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A paralisação dos testes da vacina de Covid-19 em desenvolvimento pelo laboratório britânico AstraZeneca devido a um evento adverso com um voluntário não causará qualquer alteração no acordo firmado pelo governo brasileiro com a empresa para a aquisição da vacina e posterior transferência de tecnologia, afirmou nesta quarta-feira o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco.

O secretário reconheceu, no entanto, que ainda não se sabe o quanto o cronograma previsto para a vacina será impactado pela suspensão dos testes, que foi anunciada na véspera pelo laboratório britânico. Originalmente, o Brasil esperava iniciar a vacinação com esse imunizante no início de 2021.

Segundo Franco, o risco da compra avançada de vacina é “inerente à conjuntura” e se faz necessário, sob risco de não se conseguir obter doses em grande quantidade da vacina após sua aprovação regulatória para uso.

O secretário acrescentou, em entrevista coletiva transmitida pelas redes sociais do ministério, que o acordo entre a AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz, que será responsável pela vacina no Brasil, já foi assinado virtualmente por ambas as partes.

O governo federal destinou 1,9 bilhão de reais para o projeto envolvendo a vacina da AstraZeneca, que é desenvolvida em parceria com pesquisadores da Universidade de Oxford.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247