Governo Bolsonaro perde principais postos em CPI das Fake News

O governo Jair Bolsonaro foi derrotado na primeira reunião da CPMI das Fake News ao ficar de fora dos principais postos do colegiado. O senador Ângelo Coronel (PSD-BA), que se considera independente, presidirá o grupo. Para a relatoria a escolhida foi a deputada Lídice da Mata (PSB-BA), que faz oposição a Bolsonaro

247 - O governo Jair Bolsonaro foi derrotado na primeira reunião da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News ao ficar de fora dos principais postos do colegiado. O senador Ângelo Coronel (PSD-BA), que se considera independente, presidirá o grupo.

Para a relatoria a escolhida foi a deputada Lídice da Mata (PSB-BA), que faz oposição a Bolsonaro. No caso dela, trata-se do cargo mais importante por produzir o parecer final do colegiado.

"Precisamos dar um basta e descobrir a origem dessa indústria de fake news, que faz muitas vítimas. Precisamos extirpar esse câncer da sociedade", disse Coronel, depois de ser eleito. Seu relato foi publicado no jornal O Globo. 

No ano passado houve uma campanha ilegal contra o então presidenciável do PT, Fernando Haddad. O esquema, financiado por empresas, era a divulgação de fake-news (notícias falsas) no WhatsApp para prejudicar o ex-prefeito de São Paulo e favorecer Bolsonaro, candidato pelo PSL. A denúncia veio de uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo. A matéria apontou, ainda, que cada contrato chega a R$ 12 milhões e, entre as empresas compradoras, está a Havan. 


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247