Governo está “aberto” a discutir reforma da Previdência, diz Perondi

Em um workshop para jornalistas nesta manhã, o vice-líder do Governo na Câmara, Darcísio Perondi, não quis detalhar que pontos da proposta seriam passíveis de negociação, mas garantiu que o governo tem a intenção de conversar e manter sua base forte; "Se chegar num impasse específico e ele (Michel Temer) precisar ceder, nós vamos avaliar as forças", disse; "Se houver impasse irreversível, (haverá) negociação interna na base. Porque a oposição não tem voto"

Em um workshop para jornalistas nesta manhã, o vice-líder do Governo na Câmara, Darcísio Perondi, não quis detalhar que pontos da proposta seriam passíveis de negociação, mas garantiu que o governo tem a intenção de conversar e manter sua base forte; "Se chegar num impasse específico e ele (Michel Temer) precisar ceder, nós vamos avaliar as forças", disse; "Se houver impasse irreversível, (haverá) negociação interna na base. Porque a oposição não tem voto"
Em um workshop para jornalistas nesta manhã, o vice-líder do Governo na Câmara, Darcísio Perondi, não quis detalhar que pontos da proposta seriam passíveis de negociação, mas garantiu que o governo tem a intenção de conversar e manter sua base forte; "Se chegar num impasse específico e ele (Michel Temer) precisar ceder, nós vamos avaliar as forças", disse; "Se houver impasse irreversível, (haverá) negociação interna na base. Porque a oposição não tem voto" (Foto: José Barbacena)

Reuters - O governo está "aberto" a discutir a reforma da Previdência, analisará cada situação e negociará com sua base, afirmou nesta terça-feira o vice-líder do governo na Câmara Darcísio Perondi (PMDB-RS).

Em um workshop para jornalistas nesta manhã, Perondi não quis detalhar que pontos da proposta seriam passíveis de negociação, mas garantiu que o governo tem a intenção de conversar e manter sua base forte.

"Se chegar num impasse específico e ele (presidente Michel Temer) precisar ceder, nós vamos avaliar as forças", disse o vice-líder.

"Se houver impasse irreversível, (haverá) negociação interna na base", afirmou. "Porque a oposição não tem voto."

Perondi aproveitou para defender que o governo envie "o mais rápido possível" a proposta referente à aposentadoria dos militares, para "discutir tudo no primeiro semestre" na Câmara. Segundo ele, o assunto está sendo avaliado pelo governo.

"Pode vir em 30 dias, 60 ou 90", disse, referindo-se à proposta.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247