Guedes espera eleição na Câmara para trazer de volta a CPMF

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já começa a discutir com aliados a possibilidade de levar à Câmara a proposta da criação de um tributo sobre transações financeiras, nos moldes da antiga CPMF. A aposta é que uma vitória do Arthur Lira (PP-AL) na eleição para a presidência da Câmara ajude o governo a levar o projeto adiante

Ministro da Economia, Paulo Guedes
Ministro da Economia, Paulo Guedes (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, aposta em uma vitória do candidato a presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), para que a Casa aprove a criação de um tributo sobre transações financeiras, nos moldes da antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), na agenda da equipe econômica. A informação foi publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo

De acordo com o governo, o novo tributo, que seria cobrado de todas as transações, poderá compensar uma redução nos encargos cobrados das empresas sobre os salários dos funcionários. Na teoria, a redução estimularia a abertura de mais vagas de trabalho, com custo menor.

Jair Bolsonaro já sinalizou para caciques do Congresso que aceitaria uma alíquota de 0,10% para o novo tributo. O percentual seria cobrado tanto no débito como no crédito, na retirada e no depósito de recursos. Com uma alíquota de 0,10%, a arrecadação prevista é de R$ 60 bilhões.

O atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sempre se colocou contra a volta da CPMF e chegou a dizer que, enquanto comandasse a Casa, o novo tributo não seria discutido entre os parlamentares. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email