Instituto de Psicologia da UnB adia início das aulas

Por 13 votos a 1, o Conselho do Instituto de Psicologia decidiu suspender o primeiro dia de atividades em uma semana; comunidade acadmica considerou o instituto inadequado; espao tem problemas estruturais e faltam equipamentos

UnB Agência – Enquanto estudantes da Universidade de Brasília (UnB) se preparam para o início das aulas, na segunda-feira (12), alunos de Psicologia terão que esperar. Por 13 votos a 1, o Conselho do Instituto de Psicologia decidiu adiar o início do semestre por uma semana. A decisão ocorreu porque professores, funcionários e estudantes consideram que as instalações da unidade seguem inapropriadas para a volta às aulas. No encontro, que durou três horas, os conselheiros resolveram também criar uma comissão formada por seis docentes, três alunos e três técnicos administrativos para definir calendário de mobilizações que ocorrerão durante a semana.

Em nota, o reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo de Sousa Junior, afirmou que reconhece os problemas e que, em razão deles, esteve pessoalmente no Instituto de Psicologia para verificar as condições do prédio, localizado na Ala Sul do Instituto Central de Ciências. A visita ocorreu na última sexta-feira, 2 de março “A Reitoria reconhece os problemas nas instalações do Instituto de Psicologia e justo por isso reforçou o trabalho de limpeza e os serviços de manutenção na unidade. Há dez dias a prefeitura cumpre regime de mutirão para acolher com dignidade os novos estudantes da UnB ”, afirmou no documento.

Os problemas foram relatados em relatório encaminhado pela direção do Instituto de Psicologia à Reitoria em fevereiro deste ano. A Administração montou uma operação, iniciada no último sábado, que envolve limpeza, pintura, consertos hidráulicos e elétricos, troca de 1,2 mil lâmpadas e compra de 520 novas carteiras além da restauração de outras 480. Os conselheiros do Instituto de Psicologia apontam, no entanto, que as questões mais graves não foram sanadas. “Temos várias salas sem janelas e sem qualquer sistema de ventilação. São problemas difíceis de abarcar em uma semana”, afirmou a diretora da unidade Gardênia da Silva Abbad.

A professora alega ainda que o Centro de Atendimento e Estudos Psicológicos (CAEP) não tem como funcionar após as 18h por falta de segurança. “Para atender a comunidade, precisamos abrir até às 21h, mas não temos vigilantes”, disse Gardênia. A decana de Assuntos Comunitários e presidente do Conselho Comunitário de Segurança da UnB, Carolina Cássia Batista Santos, afirma que “é possível designar imediatamente um vigilante para a unidade”.

O decano de Administração Eduardo Raupp de Vargas, coordenador do Mutirão de Volta às Aulas, acredita que as condições atuais não impedem a retomada das aulas. “A Administração não se furta a enfrentar esses problemas. As medidas estão sendo executadas”, disse. “Não tomamos nenhuma decisão inconsequente”, garantiu Gardênia. “Houve um diagnóstico in loco das condições das salas de aulas feito por estudantes e funcionários”, lembrou.

O decano de Ensino de Graduação, José Américo Soares Garcia, explicou que a decisão do Instituto de Psicologia não afeta o calendário da Universidade. “O calendário é único. O semestre tem 17 semanas e está previso para terminar no dia 14 de julho. Em algum momento, a Psicologia terá de analisar como repor a carga horária”, esclareceu.

A comissão de mobilização instituída pelo Instituto de Psicologia fará reunião nesta sexta-feira, às 9h30 para definir que mobilizações organizarão. Os estudantes se reunirão no mesmo horário para acertar protestos que também pretendem fazer.

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247