Isolado por dizer que tem coronavírus, Bolsonaro não dispensou servidores com quem teve contato

De acordo com a OMS, quem tiver contato com um indivíduo infectado pelo novo coronavírus deve permanecer em isolamento social e afastado do local de trabalho por 14 dias

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Marcello Casal Jr - Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O Palácio do Planalto informou nesta quarta-feira (8), em nota, não ter orientado o afastamento de servidores que tiveram contato próximo com o presidente Jair Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira (7) estar com COVID-19.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) os infectados podem transmitir o vírus nos seis dias anteriores ao aparecimento dos sintomas. Bolsonaro, por outro lado, afirmou ter sentido febre na segunda-feira (6). Durante toda a semana anterior o chefe de Estado realizou uma série de reuniões e recebeu políticos e autoridades.

Bolsonaro se reuniu com ministros do governo federal, secretários e parlamentares, de acordo com sua agenda oficial divulgada pelo Palácio do Planalto. O presidente também almoçou com o embaixador dos Estados Unidos e visitou Santa Catarina.

A OMS recomenda 14 dias de isolamento social e afastamento do local de trabalho para quem tiver contato próximo com pessoa infectada. Em nota, no entanto, o Planalto informou somente orientou os servidores a buscar serviço médico quando tiverem sintomas. A Presidência acrescentou que o "simples contato" com infectados não é o suficiente para o afastamento .

"Não há protocolo médico, seja do Ministério da Saúde ou da OMS, que recomende medida de isolamento pelo simples contato com casos positivos. A orientação que damos aos servidores é procurar assistência médica quando apresentarem sintomas relacionados à Covid-19, para avaliar necessidade de testagem. Nos casos considerados suspeitos, os servidores são orientados a ficar em casa até o resultado do exame", afirmou o Planalto em nota, citada pelo portal G1.

A Presidência citou a instrução normativa do Ministério da Economia editada em 12 de março, que estabelece orientações para servidores civis da administração federal. O documento não menciona afastamento de servidor por ter contato com infectados pelo coronavírus.

Por outro lado, uma portaria conjunta do Ministério da Saúde e do Ministério da Economia, publicada no mês de junho, diz que o afastamento de infectados e de seus contatos deve ser obrigatório.

Segundo a Presidência, até o dia 3 de julho, 108 dos 3400 servidores do Planalto tiveram COVID-19, e 77 já se recuperaram, sendo que mais de 90% foram assintomáticos ou apresentaram sintomas leves.

A Secretaria-Geral da Presidência informou que o Palácio do Planalto passou por desinfecção.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email