Joaquim Barbosa consegue carteira da OAB-DF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF) incluiu nesta quinta (18) a ficha do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa no Cadastro Nacional de Advogados sob o número 03344; situação regular no registro de Barbosa põe fim a uma queda de braço com o presidente da OAB-DF, Ibaneis Rocha, que disse que a atuação de Barbosa no STF e no CNJ feriu a ética profissional

A Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF) incluiu nesta quinta (18) a ficha do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa no Cadastro Nacional de Advogados sob o número 03344; situação regular no registro de Barbosa põe fim a uma queda de braço com o presidente da OAB-DF, Ibaneis Rocha, que disse que a atuação de Barbosa no STF e no CNJ feriu a ética profissional
A Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF) incluiu nesta quinta (18) a ficha do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa no Cadastro Nacional de Advogados sob o número 03344; situação regular no registro de Barbosa põe fim a uma queda de braço com o presidente da OAB-DF, Ibaneis Rocha, que disse que a atuação de Barbosa no STF e no CNJ feriu a ética profissional (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF) incluiu nesta quinta-feira (18) a ficha do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa no Cadastro Nacional de Advogados sob o número 03344. A situação regular no registro de Barbosa põe fim a uma queda de braço com o presidente da OAB-DF, Ibaneis Rocha, que começou em setembro, informa o Diário do Poder.

Na época, Ibaneis alegou que a atuação de Barbosa à frente do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) feriu a ética profissional. Um dos casos citados foi quando Barbosa criticou a proposta de emprego oferecida pelo advogado José Gerardo Grossi ao mensaleiro condenado José Dirceu. Segundo Barbosa, a oferta não passava de “um arranjo entre amigos”.

Barbosa recorreu da decisão e pediu a anulação do despacho de Ibaneis à comissão de seleção. Apesar de reconhecer que o pedido de impugnação feito por Ibaneis, como advogado e não como presidente, tem fundamento, o relator do caso, Maximiliam Patriota Carneiro, atacou o comportamento adotado por Barbosa contra a classe que desejava reintegrar. O relator ressaltou que “os deveres de cortesia e respeito eram costumeiramente olvidados pelo agora postulante ao reingresso nos quadros da Ordem”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247